Frasco contendo vírus mortal desaparece de laboratório no Texas

Zygodontomys brevicauda




Fontes oficiais informam que um frasco contendo um vírus que pode causar febre hemorrágica desapareceu em um laboratório de pesquisa em Galveston, mas que não há motivos para acreditar que exista risco às pessoas.


A área médica da Universidade do Texas informou sábado 23/03/2013 que não houve falha na segurança em seu Laboratório Nacional de Galveston e que não há indicação de irregularidades. As autoridades suspeitam que o frasco desaparecido que continha o vírus Guanarito tenha sido destruído durante a limpeza do laboratório mas que as investigações continuam.


A área médica informou que o vírus, que é encontrado na Venezuela, é transmitido somente através do contato com espécies de roedores existentes na Venezuela e não se acredita que o vírus possa sobreviver em [espécies de] roedores existentes nos EUA ou que possa ser transmitido de pessoa-pessoa.


O CDC foi imediatamente notificado na quarta-feira 20/03/2013




A febre hemorrágica venezuelana, causada pelo arenavírus Guanarito, pertence ao grupo das chamadas febres hemorrágicas da América do Sul, ao lado das febres hemorrágicas argentina (vírus Junin), boliviana (vírus Machupo) e brasileira (vírus Sabiá). Seu principal reservatório é o roedor Zygodontomys brevicauda.


Clinicamente, a doença se inicia com quadro febril insidioso seguido de prostração, mialgia, dor retroorbitária, hiperemia conjuntival, fotofobia, constipação, exantema de face e tronco, petéquias ou microvesículas em palato e adenomegalia. Com a progressão da doença, alterações vasculares (aumento permeabilidade capilar, hipotensão, hemoconcentração, edema pulmonar, hemorragias, choque) e neurológicas (alterações cerebelares, convulsões, coma) constituem as principais complicações.


As infecções ocorrem através da inalação de partículas de excrementos de roedores infectados. Na infecção pelo Guanarito, não há a ocorrência de transmissão secundária inter-humana, descrito nas infecções pelos arenavírus Lassa e Machupo, entretanto, segundo a classificação de agentes/doenças com potencial de bioterrorismo, os arenavírus figuram como agente da categoria A, ou seja:


- "o sistema de saúde pública e de assistência devem estar preparados para lidar com vários agentes biológicos, incluindo patógenos raramente observados no EUA. Os agentes de alta prioridade incluem aqueles que apresentam potencial risco à segurança nacional uma vez que:


1)podem ser facilmente disseminados ou transmitidos de
pessoas-pessoa;


2)que resultam em elevadas taxas de letalidade e têm potencial impacto à saúde pública; 


3)que podem causar pânico e pertubações sociais; 


4)que requerem especial atenção para a preparação em âmbito de saúde pública


(Fonte:


Para fins de biossegurança, os ensaios e pesquisas que envolvem os arenavírus são conduzidos em condições de nível 4 (biosafety level four - BSL-4), utilizadas, dentre outras situações, o diagnóstico de agentes exóticos com 


1) potencial de causar doença com potencial risco de morte, 


2)que podem ser transmitidos por
aerossol e 


3) para os quais (contra os quais) não existem vacinas ou
tratamento 
(Fonte:


Para ver a imagem do reservatório do vírus Guanarito, o roedor
Zygodontomys brevicauda, acesse:


Para saber mais sobre as infecções por arenavírus, acesse:


Fonte: CBS News [24/03/2013] [traduzido ; editado;Promed]
<http://www.cbsnews.com/8301-201_162-57576037/vial-of-deadly-virus-goes-missing-from-texas-lab/>

Comentários