Influenza – Brasil: campanha nacional de vacinação


Segundo dados do Ministério da Saúde do Brasil, em 2012 (atualizado até 07/novembro/2012; até semana epidemiológica [SE] 44):


- foram notificados 19.521 casos de Síndrome Respiratória Aguda Grave (SRAG); na SE 27/2012 registrou-se o maior número de casos graves;


- do total de casos de SRAG internados, a influenza foi responsável por 20,4% (3.978/19.521) e destes, 65,5% (2.604/3.978) foram pelo vírus pós-pandêmico A(H1N1)pdm09;


- dentre os casos de SRAG, a mediana de idade foi de 23 anos. As faixas etárias com o maior percentual de casos de SRAG positivos para influenza foram: indivíduos entre 15 a 24 anos, onde 21,4% (405/1.890) dos casos foram positivos para influenza A(H1N1)pdm09 e 9,0% (171/1.890) foram positivos para influenza Sazonal (A ou B); e indivíduos entre 25 a 59 anos, onde 19,7% (1.316/6.667) dos casos foram positivos para influenza A(H1N1)pdm09 e 8,8% (591/6.667) foram positivos para influenza Sazonal (A ou B);


- do total de óbitos por SRAG, a influenza foi responsável por 24,6% (433/1.754) e destes, 80,3% (348/433) foram pelo vírus pós-pandêmico A(H1N1)pdm09;


- no país, a taxa de mortalidade por SRAG foi de 0,93/100.000 habitantes, a taxa de mortalidade de SRAG confirmado para influenza é de 0,23/100.000 e de 0,18/100.000 para os casos confirmados de influenza A(H1N1)pdm09;


- dentre os óbitos por SRAG, a mediana de idade foi de 46 anos (intervalo entre 0 a 99 anos). A faixa etária com o maior percentual de óbitos por SRAG positivos para influenza foi de indivíduos entre
25 a 59 anos, onde 29,0% (247/850) dos casos foram positivos para influenza A(H1N1)pdm09 e 3,8% (33/850) foram positivos para influenza Sazonal (A ou B);


- do total de óbitos por SRAG 48,8% (856/1.754) eram do sexo feminino, desses 40,5% (347/856) eram de mulheres em idade fértil, das quais 9,5% (33/347) estavam gestantes. Em 60,2% (1.057/1.754) possuíam pelo menos um fator de risco associado, dentre os mais frequentes: doenças cardiovascular crônicas, em 14,6% dos óbitos (257/1.754); e, pneumopatias crônicas, em 11,9% dos óbitos (209/1.754);


- foram coletadas 8.541 amostras de casos de Síndrome Gripal (SG). Desses casos 14,5% (1.245/8.541) tiveram resultado positivo para influenza ou outros vírus respiratórios. Em 2012, observou-se aumento na circulação do vírus influenza A por volta da SE 22/2012, com pico de casos na SE 25/2012; desde então, observou-se redução do total de casos positivos para influenza A e destaque para circulação do adenovírus;


- a faixa etária com a maior proporção de amostras positivas em foi de crianças até quatro anos . Nesse grupo de idade foram coletadas 3.093 amostras, das quais 590 (19,1%) foram positivas para influenza ou outros vírus respiratórios; VRS apresentou maior percentual de positividade, nessa faixa etária, com 59,2% (349/590) das amostras positivas;


Para saber mais e ver os gráficos e tabelas acesse o documento original:
Promed-mail



Campanha de Vacinação 


O Ministério da Saúde pretende vacinar este ano 31.300.000 de brasileiros contra a gripe. O número representa 80% de um total de 39.200.000 de pessoas que integram os chamados grupos prioritários - gestantes, idosos com mais de 60 anos, crianças entre 6 meses e 2 anos, profissionais de saúde, índios, população carcerária e doentes crônicos.


Uma das novidades anunciadas pela pasta é a inclusão de mulheres em puerpério (período de até 45 dias após o parto) nos grupos prioritários para vacinação. Outra mudança vai possibilitar que pessoas com doenças crônicas tenham acesso ampliado à vacina por meio de postos de saúde e não apenas centros de referência. Basta apresentar uma prescrição médica no ato da imunização.

Comentários