FAO : A resposta ao surgimento do vírus da gripe A (H7N9) na China exige fortes medidas de biossegurança


As fortes medidas de biossegurança e higiene ajudam a prevenir a transmissão do vírus A (H7N9)


- A resposta ao surgimento do vírus da gripe A (H7N9) na China exige fortes medidas de biossegurança, disse a FAO hoje. Ao contrário de outras cepas de gripe, incluindo a gripe aviária altamente patogênica H5N1, o novo vírus é difícil de detectar em aves porque há poucos sinais ou nenhum da doença em animais. "Ao contrário do H5N1, quando as aves estavam morrendo em grande escala com o vírus H7N9 não tem um aviso que diga que existe uma infecção. Isto significa que os agricultores  podem não estar cientes de que o vírus está circulando em suas fazendas.As medidas de biossegurança e higiene ajudam as pessoas para se proteger de um vírus que está circulando em aves ou outros animais aparentemente saudáveis ​​", disse Juan Lubroth, Diretor da FAO Veterinária. 

A FAO elogia a rápida notificação da China com a ocorrência de casos humanos e a posterior divulgação pública de informações com mais detalhes sobre a natureza do vírus e as medidas preventivas. Com estes dados, a FAO e a comunidade científica internacional analisaram a seqüência do vírus na esperança de compreender melhor o seu comportamento e seus efeitos potenciais sobre os seres humanos e os animais. "Como é mais difícil de detectar o vírus, as medidas de biossegurança são ainda mais importantes para reduzir o risco de transmissão para os seres humanos e animais. As medidas de higiene devem ser aplicadas pelos agricultores, transportadores, trabalhadores mercados e consumidores e representam a primeira e mais eficaz maneira de proteger a cadeia alimentar ", acrescentou Lubroth. 

Embora este novo vírus esteja sendo avaliado agora, a FAO continua a recomendar as seguintes precauções padrões:

Mantenha todas as aves e gado separadas das pessoas e das casas. O contato direto com animais infectados pode representar um risco para as pessoas.O vírus A (H7N9) causa alguns sinais ou não da doença em aves, portanto é  fundamental manter as aves e animais separados de pessoas.

Manter as aves selvagens longe de aves de capoeira e outros animais, para manter a separação dos diferentes tipos de espécies de aves e animais. Isso pode ser usado com telas, cercas ou redes, ajudando a prevenir a transmissão.

Informar o veterinário responsável (ou as autoridades de saúde) os  locais com  animais doentes ou mortos. Se isso não for possível, informar os vizinhos ou líderes comunitários. É importante informar as autoridades sobre quaisquer sinais de doença ou morte súbita e inexplicável em aves, aves selvagens e outros animais, para que eles possam tratá-los com segurança e impedir a propagação do vírus.

Lavar as mãos frequentemente para matar e remover o vírus após a manipulação de aves ou outros animais,ao cozinhar ou preparar produtos de origem animal, e antes de comer.

Comer carne cozida adequadamente.

Não comer animais doentes ou mortos, e não dar ou vendê-los a terceiros, ou ainda utilizá-los como alimento para outros animais. 

Consultar imediatamente o médico existindo febre ou outros sinais depois de estar em contato com aves domésticas, aves, aves selvagens e outros animais.

Se a ameaça for confirmada , o abate seria apropriado, desde que seja feito de uma forma humana e com compensação adequada.


A FAO está monitorando de perto a situação através de sua extensa rede de escritórios nacionais e regionais e parceiros, incluindo a Organização Mundial de Saúde (OMS) e da Organização Mundial de Saúde Animal (OIE). Centro de Referência FAO e OIE, o Instituto de Investigação Veterinária de Harbin, da Academia Chinesa de Ciências Agrícolas, está liderando a análise laboratorial em resposta à situação. A comunidade científica e FAO trabalham para otimizar as abordagens diagnósticas para detectar melhor esta nova estirpe do vírus da gripe.
http://www.fao.org/news/story/en/item/173655/icode/

Comentários