Na assembleia geral de segunda-feira os médicos da rede estadual decidiram continuar em greve

.


Um dos assuntos da noite foi a iniciativa dos notáveis da Academia Alagoana de Medicina de tentar mediar com o governo um entendimento que pudesse colocar um fim à greve.

Mas o enfoque de maior destaque foi o descaso do governador para com alguns dos nomes mais destacados da medicina alagoana. Ele não quis nem mesmo receber os acadêmicos; terceirizou a tarefa para o secretário estadual de saúde.

Acostumado a desrespeitar a classe médica - que elegeu como inimiga - o governador tratou com descaso personalidades das mais destacadas, entre as que dedicaram a vida ao exercício médico profissional no Estado.

Isso não é só falta de sensibilidade. Faz parte da maneira arrogante como esse senhor - o governador - costuma se conduzir, principalmente em relação à classe médica. Mais que indelicado, grosseiro, irresponsável, vingativo. 

Será que lá no Albert Einstein, em São Paulo, para onde ele vai quando adoece, não existe nenhum tratamento para curar esse tipo de personalidade, totalmente inadequada a um homem público, a um governador de Estado?




Comentários