Orientações sobre a investigação laboratorial de enterobactérias resistentes aos carbapenêmicos


A identificação de enterobactérias resistentes aos carbapenêmicos (imipenem, meropenem e ertapenem) é um evento frequentemente relatado em todo o mundo. Um dos mecanismos de resistência é a produção de uma enzima (carbapenemase) que inativa todos os antibióticos beta-lactâmicos, incluindo os carbapenêmicos. 


Klebsiella pneumoniae carbapenemase (KPC) é uma enzima que foi identificada pela primeira vez em 2001, inicialmente em K. pneumoniae nos Estados Unidos, e, atualmente, detectada em outras enterobactérias e bacilos Gram-negativos não fermentadores. 


O isolamento de enterobactérias produtoras de KPC no Estado de São Paulo vem ocorrendo desde 2005. A partir de 2009, cepas de enterobactérias enviadas ao Instituto Adolfo Lutz (IAL), o qual é o Laboratório de Saúde Pública do Estado de São Paulo, têm sido confirmadas como produtoras de KPC, e, em muitos serviços de saúde, já são considerados microrganismos endêmicos.

Comentários