Contribuindo Para a Proliferação De Doenças : Cólera,enterococos, Salmonellas , Escherichia coli ,fungos e vírus nas águas de lastro dos navios


Existe uma forma de contaminação marinha pouco divulgada: É a poluição provocada pela água de lastro.

.
O perigo de contaminação marinha.


A expansão das fronteiras do comércio internacional criou a necessidade de desenvolver o transporte marítimo. Navios são empregados para o transporte dos mais variados tipos de cargas, respondendo por aproximadamente 80% do transporte mundial de cargas. Muitos destes navios são utilizados em viagens oceânica em diversas rotas, sendo que algumas condições navegam em um sentido completa ou parcialmente carregados e na viagem de retorno nem sempre dispõem de cargas de retorno. Nestas condições o navio deve respeitar alguns requisitos operacionais que contemplam as seguintes questões: calado, estabilidade, tensões estruturais, condições de manobras (imersão do hélice e do leme) e segurança da embarcação. Para garantir que o navio atenda estes critérios um dos procedimentos utilizados é lastrear o navio.

O lastro tem por objetivo aumentar ou diminuir o calado do navio durante a navegação para garantir sua segurança. os tanques são preenchidos com água para aumentar ou diminuir o calado dos navios durante as operações portuárias. O lastro é importante para facilitar a manobrabilidade e estabilidade dos navios durante a navegação quando estão descarregados. Além disso, o lastro é necessário para garantir o balanço do esforço estrutural no casco quando a carga é removida, controlar o trim e submergir o casco suficientemente para que o leme e o hélice operem eficientemente. Em geral, um navio pode receber ou descarregar a água do lastro em diversos portos internacionais em uma só viagem. Por exemplo, um navio pode partir da China com água nos tanques atracar no Japão e captar mais água de lastro neste local e atracar novamente no porto de Santos e despejar a água dos porões do navio em águas brasileiras.


Assim, os tanques podem conter uma mistura de águas de diferentes locais no lastro. Empresas marítimas internacionais estimam que aproximadamente 65.000 navios transoceânicos estejam operando atualmente, isto significa dizer que transportam aproximadamente 5 bilhões de m3 de água de lastro por ano e que 3.000 espécies podem ser transportadas num dia na água de lastro de navios (LEAL NETO, 2007).


Em função da problemática que a água de lastro tem trazido para os países, pretende-se com este estudo apresentar o estado-da-arte no que se refere às iniciativas legais tomadas em âmbito nacional e internacional para combater o problema, bem como, os impactos causados e as alternativas de tratamento de água de lastro que estão sendo propostas. Cabe frisar que o presente trabalho faz parte do levantamento bibliográfico que o autor está desenvolvendo para compor uma tese de doutorado no assunto em questão, em que pretende-se avaliar a possibilidade de tratar a água de lastro nos portos através de estações em terra e sistemas móveis de coleta de água de lastro “barcaças e/ou navios)


Newton Narciso Pereira, Hernani Luiz Brinati, Rui Carlos Botter
e-mail: newton.pereira@usp.br
 Departamento de Engenharia Naval e Oceânica - EPUSP

Comentários