Morte de menina de 6 anos em SP foi por febre maculosa



O Instituto Adolfo Lutz de Assis (SP) divulgou nesta quarta-feira 12 junho/2013, o laudo que esclarece a morte de C.G.S.B., de 6 anos, que aconteceu no dia 15 de maio de 2013. Segundo o documento, a criança foi vítima de febre maculosa, doença transmitida pela picada do carrapato estrela ,Amblyomma cajennense.

De acordo relatos dos parentes, na época, o pronto-socorro da cidade não teria prestado o atendimento necessário à paciente. Segundo o pai da criança, ela não recebeu atenção necessária dos médicos. "Ela reclamava de muita febre e dor no corpo. Ela também não comia, só vomitava. Nós viemos a primeira vez, o médico mal olhou para ela e liberou a gente. Trouxemos uma segunda vez e ele só deu soro porque exigimos. Quando foi na segunda-feira, minha esposa voltou no PS com ela bem ruinzinha, nem andava mais, foi quando a pediatra da UTI a examinou e ela foi internada", conta A.B.S. 
G1


Comentário: 

Eis que se inicia a "temporada" da febre maculosa brasileira no estado de São Paulo, nas áreas onde o Amblyomma cajennense é incriminado como vetor. Eis que ocorre mais um obito pela doença, com a história de sempre: vários atendimentos, nenhuma suspeita, confirmação laboratorial post mortem. Até quando?

Enquanto não houver uma maior sensibilização de profissionais da saúde para uma maior suspeição, em tempo mais oportuno, a disponibilização de terapêutica antimicrobiana apropriada (notadamente a doxiciclina para uso universal - crianças e adultos - e na apresentação parenteral), um melhor mapeamento das área de risco, medidas efetivas de manejo ambiental em áreas de transmissão... a chance de novas (e sempre trágicas mortes) se sucederão, anos após ano, contribuindo para as inadmissíveis taxas de letalidade que variam entre 30%, 40%...50%.-ProMED-PORT

Comentários