“Encontramos a bactéria Escherichia coli e alguns vírus em sistemas de captação de água, rios e em carros-pipas”




Brasília – O surto de diarreia que atingiu o estado de Alagoas já contabiliza 47 mortes, desde o início do ano e mais de 70 mil casos registrados até hoje (18). São 25 municípios afetados pela bactéria Escherichia coli, encontrada pela Vigilância Sanitária em reservatórios de água, carros-pipas e em pacientes.


Em entrevista à Agência Brasil, a superintente de Vigilância Sanitária de Alagoas, Sandra Canuto, disse que o principal fator responsável é a estiagem no sertão e agreste do estado. “Com os reservatórios secos a população procurou outros sistemas de captação de água já contaminados por bactérias e vírus”.


“Encontramos a bactéria Escherichia coli e alguns vírus em sistemas de captação de água, rios e em carros-pipas”, disse a superintente. Segundo ela os “municípios afetados já estão sendo tratados, a chuva já chegou no estado, esperamos que as fontes de captação vão encher, e que o número de casos no estado diminuam”.


Sandra disse que o governo do estado em parceria com o Ministério da Saúde estão buscando soluções para diminuir os casos. “Estamos monitorando as águas, buscando soluções alternativas, verificando rios, distribuindo cloro para tratamento da água em reservatórios e carros-pipas e fazendo campanhas nas mídias para conscientização da população”.


A recomendação é que em casos de suspeita de desidratação o individuo procure a unidade de saúde mais próxima. “Em casos de desidratação, o paciente deve fazer uma hidratação imediata em unidades de saúde, os profissionais estão preparados para receber e atender esses casos, a ordem no estado é que todos sejam atendidos”.


Dos 102 municípios do estado, 25 estão passando pela epidemia e 46 estão em situação de risco.


Edição: Denise Griesinge http://www.ebc.com.br/

Comentários