Piracicaba : primeiro caso de morte por febre maculosa em 2013



Piracicaba registrou o primeiro caso de morte por febre maculosa neste ano. De acordo com a Vigilância Epidemiológica, a vítima foi um homem de 73 anos, que costumava pescar no rio Piracicaba. No ano passado, foram 11 casos de febre maculosa registrados no município. Oito pacientes morreram em função da doença, que é contraída pelo contato com o carrapato Amblyomma cajennense, conhecido como carrapato-estrela. A Secretaria da Saúde lançou um alerta para a cidade. De acordo com o secretário da Saúde, Pedro Mello, a febre maculosa tem índice de mortalidade alto. “Chega a 30%, 40% para quem se expõe”, disse. Segundo ele, a doença só vai atingir as pessoas se elas forem até os locais de risco. “Caso contrário não se pega. Geralmente o carrapato está no pasto ou na beira dos rios. É importante se prevenir e evitar esses locais”, disse o secretário.

Em Piracicaba, segundo Mello, as capivaras são os principais hospedeiros dos carrapatos-estrela. Conforme Mello, se a pessoa for a algum lugar suspeito de abrigar carrapatos e tiver os sintomas, deve procurar um médico. “Assim, pode iniciar precocemente o tratamento. Quando a doença já se manifestou, ela se torna mais complexa”, explicou.

CAMPANHA — Uma campanha da secretaria acontece neste mês com orientações diversas sobre o assunto. Entre as dicas, se não for possível evitar as áreas de risco, é importante utilizar roupas claras, calças compridas com meias e botas por fora da calça e vistoriar o corpo para se avistar o carrapato. Caso encontrar, é preciso retirá-lo com pinça ou luvas e fazer leves torções para soltá-lo, sem esmagá-lo ou apertá-los com as unhas

Comentários