POR QUE TRAZER MÉDICOS DE CUBA?



Uma coisa que pouca gente sabe é o que motiva o governo federal a querer trazer médicos cubanos para trabalhar no Brasil, além de médicos brasileiros, formados em Cuba. E todos sem passar pelo Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos – o Revalida.
Em 2006, um grupo de países latino-americanos – inclusos Bolívia, Venezuela e outras ditaduras (algumas travestidas de democracia, como o Brasil) – criaram em Cuba a Escola Latino-americana de Medicina (ELAM), para formar “mão de obra médica barata” para traba-lhar em regiões remotas, onde não existe estrutura de trabalho e, portanto, para onde os médicos de verdade não querem ir. 
Essa “escola de medicina” forma “médicos especialistas” em atenção básica. Além de cubanos, os egressos dessa escola são oriundos dos países envolvidos na criação e manutenção da ELAM e, em geral, apadrinhados ou militantes do partido do governo. No caso do Brasil, filhos, sobrinhos, afilhados, amigos e afins de deputados, senadores, mi-nistros, prefeitos, dirigentes e poderosos do PT em geral.
Como a “formação” que recebem não está à altura do ensino dado pelas escolas mé-dicas brasileiras, o único jeito de retornarem ao país para exercerem a medicina é burlando o Revalida. Como isso era difícil de acontecer, o governo tratou de dar um jeito de trazê-los, junto com coleguinhas cubanos, sem fazer o exame. E agora tenta, a todo custo, desmoralizar o Revalida e a classe médica brasileira.
Além de dar emprego a essa turma (brasileiros formados na ELAM), o governo vai empregar médicos cubanos (nativos da ilha do Fidel), como uma forma de capitalizar o governo de Cuba. E fará isso com o dinheiro dos impostos que todos pagam no Brasil.
Como se tudo isso não bastasse, esses “médicos” com formação precária vão atuar junto à população pobre, em lugares onde não existem as mínimas condições de trabalho (pelo menos os cubanos vão. Os brasileiros devem arrumar empregos melhores com seus padrinhos). Os pobres que dependem da assistência do SUS, submetidos aos cuidados desse pessoal, vão pagar com a vida pelas atrocidades que o governo federal está fazendo com a saúde brasileira, com os médicos e com a medicina. Isso é justo?

FONTE: SINMED/AL

Comentários