CRM-MG chamará polícia para médico estrangeiro sem Revalida e Cremepe decidiu não fazer o registro profissional



O Conselho Regional de Medicina de Minas Gerais (CRM-MG) vai acionar a polícia para os casos de profissionais estrangeiros que atuarem no estado por meio do programa Mais Médicos sem passarem pelo Exame Nacional de Revalidação de Diplomas Médicos (Revalida) e pela avaliação de fluência em português. Segundo o presidente da entidade mineira, João Batista Soares, trata-se de exercício ilegal da profissão.

De acordo com Soares, o conselho mineiro irá fiscalizar todos os profissionais estrangeiros ou brasileiros formados no exterior para verificar se estão de acordo com a lei. "Esse treinamento de três semanas que vão fazer é besteira. Querem trabalhar só com esse treinamento, mas a lei exige o Revalida e exame de idioma. O governo pode burlar a lei?", indagou. "Se estiverem irregulares, é exercício ilegal da profissão. E isso é caso de denúncia à polícia", completou Soares.


Pernambuco — O Conselho Regional de Medicina de Pernambuco (Cremepe) decidiu não fazer o registro de médicos estrangeiros que não tiverem o Revalida. "Sem o número que habilita o exercício da profissão, essas pessoas estarão no exercício irregular e ilegal da profissão", afirmou a presidente do conselho estadual, Helena Carneiro Leão. "Médico sem registro no conselho não pode exercer a profissão. Sem o diploma revalidado, como saber se o profissional é realmente médico?", indaga ela.

Segundo a presidente, o estado não tem nenhuma resolução semelhante ao conselho de Minas Gerais. Ela disse que os conselhos regionais irão se reunir em Brasília, na próxima terça-feira, e sua expectativa é que se chegue a uma resolução comum a ser adotada em todo o País.

(Com Estadão Conteúdo)

Comentários