Hoje somos nós; amanhã serão vocês!


Um governo desses não respeita ninguém – não interessa que seja médico, enfermeira, advogado, ou “astronauta”. Hoje somos nós; amanhã serão vocês!
Milton Simon Pires

Cólera >>>>




Em 1953 o título desse meu artigo era manchete no antigo Pravda, jornal oficial da extinta (para tristeza de alguns) União Soviética.

Acontece que Stalin, no seu apelo constante ao terror para controlar o país, propagou a idéia de que existia então um complô, que incluía a CIA e os médicos judeus, com objetivo de assassinar todos os grandes líderes do Partido Comunista da URSS.

Não é preciso dizer que a fraude não durou muito. Regimes totalitários apelam para esse tipo de coisa quando percebem seu poder ameaçado – o PT não é exceção.

Seja prendendo os médicos como fez Stalin ou obrigando a maior população do mundo (chinesa) a matar pardais como fez Mao, o objetivo é um só – desviar a atenção da opinião pública daquilo que é a verdade.

Já disse mais de uma vez que há médicos SUFICIENTES no Brasil. Já expliquei que somos mal pagos e que tememos trabalhar sem condição alguma. Vários outros médicos e organismos ligados à medicina fizeram o mesmo – nada adiantou.

Chegou portanto a vez do Ministro Joaquim Barbosa dar dez dias ao governo federal para explicar qual sua intenção com o Programa Mais Médicos. Apresentou-se também a necessidade do Conselho Federal de Medicina ingressar na Justiça contra essa ideia absurda, mas o que ninguém percebe é que uma coisa não volta mais – a confiança da classe médica nessa gente do governo Dilma.

Tanto faz qual vai ser o desfecho dessa confusão toda – acreditar nas intenções deles nenhum médico brasileiro vai novamente. Quem, em menos de trinta dias, tenta trazer 6.000 médicos cubanos, aumenta a duração do curso de Medicina em dois anos, e veta o Ato Médico nos declarou “guerra sem volta”.

Os petistas querem “médicos especialistas em gente” e têm a audácia de se apresentar como “gente especialista em médicos” !

Estou cansado de defender meus colegas e atacar o governo petista. Agora já é tarde demais e nem o governo nem a população vão nos apoiar em qualquer coisa.

O recado aqui vai ser mais curto. Dessa vez vai para população e para algumas classes de “profissionais da saúde” que vêm aproveitando a situação para afirmar que “somos orgulhosos”, “não gostamos de pobres”, “de morar no interior” , nem de “trabalhar em equipe”. Chutar cachorro morto é fácil, né “cumpanheros”?

Não se enganem, meus caros “amigos”, nós médicos somos apenas os “primeiros da fila”.

Não os convoco em nome da solidariedade, mas sim da pura inteligência – caso vocês acreditem que tem alguma. Somos apenas a “bola da vez”.

Um governo desses não respeita ninguém – não interessa que seja médico, enfermeira, advogado, ou “astronauta”. Hoje somos nós; amanhã serão vocês!

Em relação aos pacientes..bem com os pacientes meu discurso é mais simples. Provem que os médicos estrangeiros vêm para o Brasil e daí surgirão novos hospitais e eu rasgo tudo que escrevi.

Até lá vou continuar “sendo orgulhoso” e “não gostando de pobres” como tem sido sustentado pelo “Jornalismo do B” que agora domina o país.

Nunca foi tão fácil culpar alguém sem ter sequer necessidade de mandar prender – a internet faz um serviço mais rápido e eficaz.

Pena, para Stalin, que o ditador russo não contava com ela…

Meus colegas russos morreram de frio na Sibéria; meus colegas brasileiros vão contrair malária na Amazônia…Temperatura diferente; mas sempre a mesma história.




PRENDAM OS MÉDICOS !

Por Milton Simon Pires, médico intensivista em Porto Alegre
Porto Alegre, 21 de julho de 2013 AVC (antes da vinda dos cubanos)

Comentários