Situação atual dos surtos de cólera na Região ( Cuba, Haiti e República Dominicana )

Atualização Epidemiológica - OPAS/OMS
Cólera
23 de agosto 2013

Em Cuba, 23 de agosto de 2013 o Centro Nacional de Enlace(CNE) informou que após o surto no ano passado e durante o ano em curso foram investigados regularmente casos suspeitos. 


Como resultado do monitoramento implementado,foi confirmado 163 casos de cólera nas províncias de Havana, Santiago de Cuba, Camagüey e em outras cidades associadas a estas três províncias.

De acordo com as informações fornecidas, os casos registrados em Havana estiveram ligados a dois estabelecimentos de comida, onde encontraram a presença de portadores assintomáticos entre manipuladores de alimentos. Estes centros adotaram medidas sanitárias.

Entre os casos confirmados incluem 12 casos em viajantes de diferentes países (dois da Alemanha, dois do Chile, dois da Espanha, um da Holanda, três da Italia e 2 da Venezuela), dos quais oito eram homens e quatro mulheres, com idade variando de 30 a 74 anos (mediana de 53 anos). O Instituto de Medicina Tropical "Pedro Kouri", confirmou a detecção de Vibrio cholerae sorogrupo O1 Ogawa em todos os casos. Todos evoluiram favoravelmente e não houve mortes.

Após a detecção de cólera em Manzanillo em 2012, em que houve 417 casos, incluindo três mortes, o Ministério da Saúde de Cuba registrou dois surtos, um após o furacão Sandy em outubro de 2012, em que 47 casos foram confirmados e outro no início de 2013 na província de Havana, com 51 casos confirmados. 

O CNE de Cuba informou que em todos estes surtos agiu prontamente e realizou todas as ações correspondentes para o seu controle.


Atlas interativo da OPAS/PAHO com dados atualizados sobre o número e distribuição geográfica dos casos de cólera na América Central, acesse:
http://new.paho.org/hq/images/Atlas_IHR/CholeraHispaniola/atlas.html

De acordo com informações recebidas, Cuba continua a implementar um plano de prevenção e controle da cólera, o que aumenta a difusão de medidas preventivas na população, o controle centros de processamento e comercialização de alimentos e vigilância epidemiológica das  Doenças diarreicas agudas. 

Para a temporada de verão intensificaram medidas de comunicação dirigida à população, especialmente aquelas relacionadas à lavagem das mãos, a ingestão de água clorada, limpeza e cozimento de alimentos, lavar frutas e verduras, bem como a seleção de alimentos processados ​​para consumo.

Atualização aqui

Comentários