SOLUÇÃO EQUIVOCADA PARA O IML



Mais uma vez o governo optou pelo “jeitinho” para mascarar um problema sério, que exige uma solução definitiva. O IML de Maceió precisa de 25 peritos médicos legistas e deveria promover concurso público para contratar pessoal especializado. No entanto, com apoio do Conselho Estadual de Segurança, tenta resolver o problema obrigando médicos militares a atuarem como legistas.

O Conseg cita o Código Penal numa situação em que não se aplica. Os médicos militares poderiam ser convocados, caso não existissem médicos especialistas. Acontece que em Alagoas tem médico preparado para atuar no IML, mas que o Estado só pode admitir por concurso público. 

“O Conseg deveria usar sua força para pressionar o governo estadual a realizar concurso e contratar os 25 médicos legistas necessários. No entanto, o Conseg usa sua força para passar por cima da lei, como a Lei nº 12.030/2009, e apoiar o governo em ações que são ilegais”, disse o presidente do Sinmed, Wellington Galvão. 


Segundo ele, a situação do IML de Maceió é absurda. Enquanto no vizinho Estado de Pernambuco, o IML de Recife conta com dez médicos em seus plantões diários, em Maceió se dispõe apenas de um médico por dia. Para ele, a atitude do governo é irresponsável.
FONTE:SINMED/AL

Comentários