GPF : Demora inquieta médicos do Estado de Alagoas



GPF: DEMORA INQUIETA MÉDICOS

Os médicos do Estado estão inquietos com a demora da fixação da GPF aos salários. No acordo que pôs fim à greve da categoria em julho o compromisso do governo era enviar o projeto de lei à Assembleia Legislativa em tempo hábil para que entrasse em vigor no dia 1º de setembro. Não aconteceu.

De início, a justificativa foi o recesso parlamentar do meio do ano. Depois, ajustes que precisavam ser feitos no projeto, confirmação do aumento do repasse do Ministério da Saúde, confecção de novas tabelas, cálculos, etc. Finalmente, foi solicitado ofício informando o resultado da assembleia geral dos médicos em que a categoria aceitou a proposta do governo. Os adiamentos são injustificáveis.

A categoria cobra e pressiona o Sinmed. A questão judicial envolvendo o Sindicato foi resolvida. O ressarcimento dos dias parados só acontecerá quando o conjunto do que foi acordado entrar em vigor. O que depende da aprovação do projeto de lei pela ALE e sua sanção pelo governador. Depois de três meses, a impaciência dos médicos se justifica. A descrença na palavra do governo também.

Mais uma vez, o Sinmed se reunirá com o secretário da Saúde, Jorge Villas-Bôas, para tentar saber o que está acontecendo. O secretário tem demonstrado empenho em finalizar a questão, mas o processo está empacado. A audiência, já confirmada, está marcada para quarta-feira, dia 2, às 16 horas.



O Sindicato, que repassa à categoria as informações das reuniões com o governo, vai cobrar do secretário respostas para as perguntas mais repetidas pelos médicos: Por que tanta demora? Como está o projeto de lei? Como ficaram as tabelas? Mesmo com todo esse atraso, a fixação da GPF será retroativa a 1º de setembro? O ressarcimento dos dias parados acontecerá no primeiro mês de implantação do acordo?


Fonte:SINMED-AL

Comentários