Médicos cubanos no Brasil: cidadãos de segunda


Quando as autoridades brasileiras são obrigadas a admitir que um médico cubano recebe um salário mensal de 30 dólares  na ilha,o véu  dos Castro cai.


Os exilados cubanos que vivem no Brasil estão passando por uma situação " sui generis " : por um lado , enfrentamos o trauma de ver os nossos colegas médicos residentes na ilha - enviados ao Brasil para trabalhar em áreas remotas com colegas de outras nacionalidades no plano " Mais Médicos" - são tratados como " cidadãos de segunda classe " . Tudo porque há uma ordem da ditadura dos Castro aceita pelo governo esquerdista do gigante sul-americano - que lhes retira  quase todos os seus direitos ( eles não podem trazer a sua família , não podem ser contratados diretamente, eles não podem se mover do lugar atribuído , eles não podem receber o salário previsto ... ) tratamento muito diferente dado a colegas brasileiros e aos de outros países  .


Esta situação de " apartheid " com médicos cubanos ,foi muito debatida na imprensa, no Congresso e pelo público brasileiro ( o cidadão comum entende como "trabalho escravo" ) e o povo Brasileiro evidencia o real tratamento que " revolução cubana " dá aos seus cidadãos.Ninguém no Brasil "quer acreditar" que os médicos cubanos só receberiam 200-300 dólares por mês dos US $ 4400 mensais que o governo brasileiro vai pagar a ditadura cubana - há um despertar da opinião pública local diante a exploração desumana existente dentro de Cuba


Quando as autoridades brasileiras são obrigadas a admitir que um médico cubano recebe um salário mensal de 30 dólares por mês na ilha de Cuba,o véu Castrista cai e desnuda a verdadeira face de uma ditadura discriminatória com seu povo. O trauma dos cubanos que residem no Brasil é enorme e doloroso ver tanta exploração ,por outro lado a consternação do brasileiro não é menor, até mesmo a dos "esquerdistas" .


É essa exploração - essa discriminação - o que quer o governo brasileiro dos seus cidadãos ? Se não, for assim porque aceita tratar médicos cubanos com discriminação , financiando mais de 17 milhões de dólares mensais , para os irmãos Castro ,sendo que para cada médico cubano o pagamento mensal é de US $ 300 ? Em Que parte deste acordo " leonino " esta a "justiça social " ou mesmo " a luta contra a exploração capitalista " ? Como pode o governo de um país aberto, democrata como o Brasil, contratar os médicos de vários países, discriminar desumanamente o nobre e sofredor povo cubano ? Não é este "bloqueio" dos salários dos médicos cubanos pior do que o famoso " bloqueio americano " ? . As perguntas acima nos levam a concluir que existem fatores ocultos por trás dos fatos.


A presença no Brasil de médicos cubanos para trabalhar no interior da geografia brasileira , além de ter a vantagem ( campanha eleitoral para o governo ) de fornecer assistência médica às pequenas cidades, certamente tem o objetivo de colocar "cabos eleitorais " em áreas remotas , que fariam propaganda para a reeleição do atual governo , assolado por protestos de rua e que no próximo ano - quando Castro completará os 4.000 médicos comprometidos - enfrentará eleições presidenciais atualmente difíceis de prever. Em paralelo - como parte da estratégia - o governo de esquerda do Brasil financiaria assim a repressão em Cuba , tirando do salário dos médicos e entregando quase que integral aos irmãos Castro.

No entanto , este tratamento discriminatório que o governo brasileiro oferece aos seus "promotores eleitorais " , pode se tornar uma faca de dois gumes . Enquanto os cubanos fazem propaganda para a esquerda local, a sua presença - ganhando uma fração insignificante do salário ( a maior parte vai para os bolsos dos seus mestres em Cuba) - vai se tornar outra propaganda negativa , efetiva e poderosa contra aqueles que exploram desumanamente profissionais sacrificados ,porém cativos .


É difícil dizer que o plano do governo brasileiro com os médicos não seja para beneficiar as populações carentes . No entanto, o raciocínio acima, as meias- respostas e falta de explicações convincentes sobre as questões apresentadas , conduzem para o caminho ' eleitoreiro ' da reeleição da atual presidente , somada à estratégia do atual governo para financiar o desastre dos Castro na ilha.


O governo brasileiro é um governo de continuidade de um anterior de 8 longos anos , também amigo de Castro, mas nunca mostrou interesse nos médicos cubanos , por que agora , pelo menos, há um ano das eleições presidenciais e estando Cuba em crise econômica,se organiza esse plano sem discutir previamente com a sociedade brasileira , nem com as associações médicas no país?


Toda essa história " mal contada " é explicada quando se sabe que o governo brasileiro quer substituir a Venezuela como financiador da ditadura Castro, enquanto esta lhe ajuda a ficar no poder ganhando as próximas eleições com a ajuda dos médicos cubanos .


Traduzido do Original:
septiembre 16, 2013


Leia também:

Comentários