O sistema de saúde de Cuba é o mais caro do mundo ?



"Pelo menos a saúde em Cuba é gratuita , se não, eu teria morrido ", meu pai me disse quando estávamos conversando sobre sua doença sentados a mesa da minha casa. Meu pai tem 51 anos , é um homem robusto e forte, com aparência saudável, mas tem cirrose do fígado. Nunca foi um alcoólatra , nem bebe, mas há 30 anos, por negligência médica , foi infectado pelo vírus da hepatite C em uma transfusão de sangue durante uma cirurgia na garganta . Meu pai desde então, se tornou um doador e fez várias doações de sangue até que em uma delas , 20 anos após o contágio, a doença foi diagnosticada . Naquela época, a sua hepatite era crônica ,e mais recentemente , tornou-se  cirrose . Como "compensação" pela negligência , o Estado dá prioridade nas consultas médicas, algo que meu pai agradece. Este servilismo me inquieta. - "Como você pode agradecer quem roubou a sua saúde ?, você não estaria doente se o Estado tivesse feito o seu trabalho. Em qualquer país civilizado iriam te indenizar,porém aqui recordam que te oferecem " prioridade no atendimento" para que você possa agradecer-lhes . " 



A conversa se somou a da  minha avó de 77 anos , que hoje recebe uma pensão de 192 pesos ( 8USD ) por mês. Ela tem uma úlcera no estômago .Os Pacientes com esta situação os médicos aconselham a fazer uma alimentação a base de leite e malanga;(taioba ,inhame) e são concedidos uma dieta suplementar racionada de alimentos básicos a um preço reduzido . Para ter esta dieta a minha avó tem que passar por uma endoscopia a cada ano , onde é introduzido um tubo pela boca para ver a sua úlcera , e somente assim, o médico autoriza a minha avó adquirir esses alimentos . Este ano, devido a dor intensa causada pelo aparelho de endoscopia , vovó se recusou a realizar o teste - apesar dos médicos já terem dito que a sua doença não tem cura, hoje a minha avó não recebe mais a dieta.


Uma das chamadas ` conquistas da revolução " foi aumentar o acesso aos cuidados de saúde em todo o país e fazê-la de forma "gratuita" . A Televisão cubana e outros meios de comunicação oficiais são responsáveis ​​pela repetição frequente da importância desta " conquista do socialismo. " Eu me pergunto qual policlínica que os repórteres do Granma frequentam? - obviamente, não deve ser a mesma que eu vou. Talvez estejam se referindo ao sistema de saúde da década de 70 e 80 , dizem (eu sou muito jovem para saber ) , que funcionava.

A massificação da Saúde ocorreu no meu país há cinco décadas , a partir do que conhecemos como o consultório médico. Este projeto foi concebido para garantir o acesso de todas as pessoas aos cuidados primários , de modo que o estado distribuia um especialista em saúde para cada bairro , o médico de família . 

Lembro com carinho de Susana , a médica que morava na esquina da minha casa e me atendia quando era criança. Ela conhecia todos os vizinhos com perfeição. Às vezes , não importava a falta de medicamentos ou as más condições do consultório ou clínica , ela te inspirava tanta doçura e confiança que eu mesmo aprendi a não ter medo de injeções . Estes médicos foram colocados nos consultórios médicos , construção de dois andares, de propriedade do Estado , onde abaixo há um pequeno local de consulta a população, e acima uma casa para o médico viver com a sua família.

Muitos deles , depois de tantos anos já se aposentaram ou deixaram de trabalhar para a Saúde Pública , no entanto, por não ter outra casa para se mudar continuam vivendo nesses consultórios . Em outros casos, depois de muitos anos de usofruto a lei permite que os médicos adquiram o direito de propriedade da casa própria , deixando assim órfão o conceito original do projeto . 

Hoje, Susana não vive na esquina da minha casa , no consultório vive um homem que trabalha em um hotel. Isso já aconteceu em muitas partes do país. O acesso simples e perto da atenção médica primária, perdeu sua solidez .


O ponto chave desta questão é a gratuidade aparente com que o governo cubano faz campanha, e justo aqui começam os subornos. 

A consulta médica pode ser alcançada imediatamente trazendo um presente para o médico, desde um lanche até dinheiro, dependendo do caso . " Ajuda-me que eu te ajudo " é a frase que você ouve muito em Cuba quando alguém quer subornar sem ter que dizer "Eu vou pagar " . Este método funciona em todas as escalas , desde conseguir uma cama em um hospital até a disponibilidade de um raio- x . Um exemplo é o que aconteceu recentemente no Hospital Maternidade dos Trabalhadores , o diretor teria montado uma clínica privada especializada em cirurgia plástica , é claro, usando recursos do Estado e cobrando em dólares, que além de ilegal, é uma irresponsabilidade social. Este caso terminou com a prisão e anulação do título de medicina dos envolvidos na questão.

Esta situação é conseqüência direta dos salários dos médicos e do pouco incentivo que recebem do Estado. O salário de um médico gira em torno de 600 pesos cubanos( 25 USD ) por mês , que é muito pouco. 

Muitos especialistas em saúde têm se desvinculado do sistema , alguns deixaram o país e outros trabalham no setor do turismo , onde , graças ao dinheiro dos estrangeiros , agora ganham 40 vezes mais do que salvando vidas. 

Nosso médicos sonham com " a viagem " para a Venezuela e agora o Brasil ! . É a única maneira de ganhar alguns dólares. Claro que, na seleção para o transporte internacional qualificam apenas os melhores , que deixam um espaço vazio no centro das atenções nacionais .

Brasil paga por cada médico mais de 4000USD por mês , mas esse dinheiro não vai para o médico bem preparado e pronto para trabalhar dia e noite para ajudar a sua família; esse dinheiro é entregue ao governo de Cuba , que , em seguida, paga ao Medico menos de 10 %. mas, claro, esse ridículo 10% representa 16 vezes mais do que ganha o médico em Cuba, e com este mecanismo de exploração , os médicos cubanos sobrevivem e o governo do meu país recebe a moeda estrangeira de que tanto necessita .

O déficit nacional de médicos , agravado por essas missões internacionais , tornou o estudo da medicina  uma carreira de prioridades em Cuba.

Hoje em dia até os estudantes pré-universitários com médias mais baixas podem optar por estudar esta carreira . Os professores universitários queixam-se que não é possível suspender os alunos em testes ,mesmo se eles não cumprirem os objetivos. 

Carlos , um professor da escola de medicina me disse : "Os professores que suspendem os estudantes de medicina em Cuba podem se meter em sérios apuros. O que importa é o número de médicos formados e não a qualidade deles . 

O objetivo é exportar e quanto mais : melhor " Claro que, em Cuba , há excelentes médicos , não é a minha intenção ofuscar o mérito que eles têm. . Eu sei que muitos são apaixonados por medicina, que fazem de coração e se revelam excelentes profissionais . É isso que necessita o meu país,médicos de vocação,não de super-produção nacional como batatas ou cana-de- açúcar.

Na mesa da minha casa éramos vários debatendo a questão . Além de meu pai , minha avó e minha mãe ainda juntou dois vizinhos . Todos de acordo em um ponto. O governo de Cuba afirma que os baixos salários são devido a subsídios estatais e gratuidades com a saúde . Então, se minha mãe que é científica e ganha US $ 30 por mês, mas com as suas mãos gera milhares de dólares para o governo .....Nós temos o sistema de saúde mais caro do mundo!


Traduzido do original:
Cuba, ¿la salud más cara del mundo?



     Yusnaby Pérez

Blogueiro e escritor cubano.Amante da democracia,liberdade e dos Direitos Humanos.Defensor da pluralidade de critérios e modos de expressão. Vivo em Havana.

Bloguero y escritor cubano. Amante de la democracia, la libertad y los Derechos Humanos. Defensor de la pluralidad de criterios y modos de expresión. Vivo en La Habana.

Comentários

Yusnaby Pérez disse…
Muchísimas gracias por publicar mi post y por darle voz a la realidad de los médicos cubanos. Un saludo desde La Habana.