Um novo olhar sobre o sistema de saúde cubano

O sistema de saúde em Cuba está morrendo, agonizando. O que chama a atenção no meio desse desastre, é que o povo humilde e pobre não tem acesso a cuidados médicos em hospitais chamados diferenciados, como o "Cira García" Cimeq, Frank País e La Prairie.





Por esses dias, os meios de comunicação fizeram eco aos acordos do governo brasileiro com a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), que pretende contratar 4.000 médicos cubanos.

Atualmente, já se encontra 400 médicos que serão destinados a regiões remotas, cumprindo um programa chamado "Mais Médicos", que de acordo com as autoridades brasileiras garantirá uma alternativa para milhões de pessoas que hoje não têm acesso a um médico.

Quero convidar meus queridos leitores para um curto passeio no interior do nosso Sistema Único de Saúde, principalmente concentrar a nossa atenção sobre os hospitais e policlínicas, que servem aos cubanos: o cubano pobre e humilde, pois na prática, o programa de médicos e enfermeiros de família está desaparecendo.

Não há como negar que esses programas chegaram a ser a espinha dorsal do sistema de cuidados de saúde primários, mas nos últimos anos, mais de 40, 000 médicos deixaram o país para "cumprir missões em outros países."A Toda essa bagunça tem que adicionar toneladas de recursos, incluindo equipamentos, medicamentos, materiais e produtos químicos desviados para cobrir as missões de interesse político em países africanos e da américa latina..


A verdade é a maioria dos consultórios médicos na ilha estão fechados por falta de pessoal, algumas consultas são mantidas devido aos estudantes de medicina que frequentam o terceiro ano do curso, sem qualificação e responsabilidade profissional .

Sala Echevarria sistema de saúde

Embora o país conte com centros de tecnologia avançada, onde os medicamentos são produzidos para exportação, as farmácias da vila não têm qualquer tipo de produtos, o déficit chega a medicamentos essenciais, tais como analgésicos, antiácidos, vitaminas, seringas, termômetros, de acordo com declarações do trabalhadores dessas unidades que, por razões de segurança não são identificados.

Em nosso passeio, visitamos a sala de Terapia do Hospital Julio Trigo, na capital, e estabelecemos diálogos com alguns pacientes hospitalizados.


Maria del Carmen Figueroa, uma anciã de 76 anos de idade, que foi internada por suspeita de câncer de pulmão, passou 20 dias esperando para realizar uma broncoscopía, que não aconteceu porque o aparelho está quebrado.

Jesus Alberto Reina, um paciente de 62 anos pela terceira vez foi admitido neste hospital por causa de enfisema pulmonar e bronquiectasias-em duas ocasiões foi dispensado ​​.


Nesta turnê, tivemos a oportunidade de conhecer Alicia Vidal, 52 anos, que esperou um ano antes de realizar uma endoscopia digestiva e finalmente fez, depois de oferecer um "presente" ao pessoal médico de 5,00 CUC. 
De acordo com o resultado do teste, a Sra. Vidal tem Úlcera péptica e duodenite crônica. O especialista receitou um tratamento, agora, sua maior preocupação é encontrar as drogas, porque de acordo com o relatório só existem nas farmácias que vendem em pesos conversíveis.

"O aumento de doenças transmissíveis é uma preocupação crescente", disse o epidemiologista Dr. Galindo, a um grupo de parentes reunidos na sala de estar do Hospital Julio Diaz.

De acordo com o médico, durante todo o ano recebemos centenas de casos afetados por epidemias como a Dengue, Leptospiroses e meningo encefalites.

"Agora, a cólera está nos afetando, e não temos os recursos necessários para combatê-la, é preciso um grande apoio e compreensão dos familiares", disse ele. 

Parece que os programas que lograram algum funcionamento dentro do sistema de saúde cubano,foram abandonados, e a famosa potência médica ,ficou para trás .

O sistema de saúde em Cuba está morrendo, agonizando. O que chama a atenção no meio desse desastre, é que o povo humilde e pobre não tem acesso a cuidados médicos em hospitais chamados diferenciados, como o "Cira García" Cimeq, Frank País e La Prairie. 

Estacionamento de ambulâncias do Hospital Cira García.
Traduzido do original
Una nueva mirada al sistema de salud cubano

Comentários