SUS começa a ser chamado de " Castro Care "

O novo modelo do SUS  começa a ser chamado de " Castro Care " . 




O ex-presidente de Cuba Fidel Castro enviou médicos ao exterior ao longo de décadas , para trabalhar na América Latina e em locais distantes como a África, disse www.npr.org  em sua página digital.


Ela acrescenta que em alguns casos, como no Haiti , as missões médicas eram vistas como atos puramente humanitários , enquanto que em outros lugares, como na Venezuela, como uma forma de troca que fornece a Cuba as importações de um petróleo subsidiado.


NPR afirma que Cuba sempre se vangloriou de seu programa , que tem sido geralmente bem recebido .

  Havana está enviando milhares de médicos para o Brasil que  além de "precisar urgentemente" deles nas zonas rurais e pobres , tem dinheiro para pagar. No entanto , o programa enfrenta resistência não de pacientes, mas da classe médica brasileira .

Lourdes Garcia- Navarro, foi quem escreveu o artigo em www.npr.org , e recorda que a chegada de médicos cubanos na cidade de Fortaleza, em agosto , ficou marcada pelos gritos dos médicos brasileiros  de " Escravos , Escravos " ,fazendo referência aos profissionais de Cuba.

José Roberto Murisset , o secretário de Direitos Humanos da Federação Nacional dos Médicos do Brasil, disse que o governo cubano fica com  a maior parte do dinheiro que se paga aos médicos. Além disso , o governo brasileiro também mencionou que os médicos cubanos não têm o direito de pedir asilo no Brasil.

Castro Care, o sistema único de saúde Cubano (SUS-CU) - Vídeo 









O principal ponto de discórdia é que os médicos estrangeiros que vêm para atuar com o novo programa , não tem que fazer o exame médico brasileiro(Revalida) para a prática no país sul-americano . Murisset acredita também que muitos dos médicos que chegam ao Brasil provenientes da ilha de Fidel  não têm boa qualificação .

O Dr. Adriano Peres Lora , diretor do Hospital Municipal Pedreira,com 50 leitos em suas instalações , que atende uma média de 44 mil pessoas na comunidade diz: se você pode ter mais médicos , mesmo que seja os estrangeiros, todo mundo no final  vai se sentir menos oprimido.

"O que nós precisamos é de cuidados básicos . Não faltam médicos dispostos a trabalhar como médicos de clínica geral em comunidades carentes ", diz ele , acrescentando que 80 por cento ou mais dos problemas de saúde que as pessoas enfrentam podem ser resolvidos ao se consultar com um médico em um estágio inicial . Dr. Adriano complementou :." a maioria dos médicos brasileiros não querem trabalhar em comunidades pobres e rurais  como a sua, mesmo que a necessidade seja grande . "

Do original:


NPR: 'Castrocare' divide médicos en Brasil

Comentários