"Problemas familiares e comida horrível"- Cubano desiste do Mais Médicos e volta para casa !



O programa Mais Médicos teve no fim da semana passada sua primeira baixa internacional com a volta para a Espanha do cubano Bladimir Quintan Remedios, 49.

Ele vivia em Madri desde 1996, quando desertou de Cuba, durante uma viagem de turismo à Europa.

O profissional, que disse ter 26 anos de experiência em medicina da família, começaria a trabalhar no Recife nesta semana.

Segundo o Ministério da Saúde, Quintan explicou via e-mail que estava deixando o programa por questões familiares.

De acordo com a pasta, ele informou que estava com saudades de seus parentes e que a logística para trazer cinco pessoas era complicada.

No início do programa, o governo informou que bancaria a vinda de somente dois familiares de cada estrangeiro.

O Ministério da Saúde informou também que Quintan havia aceitado uma proposta de trabalho na Espanha e teria de se apresentar imediatamente.

Ainda de acordo com o ministério, o médico devolveu R$ 10 mil que havia recebido de ajuda de custo para se instalar e ficou com outros R$ 10 mil da bolsa a que tinha direito pelo mês que ficou no Brasil para um treinamento em Vitória de Santo Antão, na zona da mata de Pernambuco.

Quintan foi um dos três primeiros médicos estrangeiros a chegar a Pernambuco, em 23 de agosto.

À época, disse que se inscreveu no programa empolgado com a atitude do governo brasileiro de oferecer mais médicos à população e citou também a crise econômica internacional.

No primeiro dia de treinamento, disse ter reprovado a comida do quartel em que ficou alojado. "A comida é horrível", afirmou o médico.

A Folha não conseguiu contatar Quintan nesta terça-feira (1º).

TROCAS

Além da desistência de Bladimir Quintan, o Ministério da Saúde informou nesta terça-feira (1º) que dois médicos cubanos que deveriam trabalhar no município de Xexéu (a 138 km do Recife) foram transferidos para Lagoa do Ouro (a 274 km da capital pernambucana).

O ministério informou que a Prefeitura de Xexéu disse não ter condições de acomodar os dois profissionais. Como Lagoa do Ouro aguardava para ser contemplada pelo programa federal, recebeu os médicos.

Comentários