Alerta sanitário por surto de cólera em Cumanayagua (cuba)

Esta semana, o alarme começou na cidade de Cienfuegos Cumanayagua, ante o surgimento de um grande surto de cólera. Este é o segundo na província até agora neste ano. 


Até 10 horas do dia 21 de novembro, 64 casos de cólera foram confirmados pelo teste rápido- uma morte, e um número indeterminado em estado crítico, e mais de uma centena de afetados por diarreia profusa aguardam o resultado do testes realizados. 

O falecido se chama Luis Morales, viveu em Orlando Gomez,edifício 4 apartamento 9. De acordo com parentes, antes de contrair cólera, Morales estava sofrendo de uma condição deplorável de saúde.


A crise sanitária motivou a visita de altos funcionários do Ministério da Saúde. Da mesma forma, levou à mobilização de funcionários do governo em vários níveis, líderes empresariais, profissionais de saúde e da concentração de recursos logísticos da província para as áreas mais atingidas. 


À procura de um culpado 
Cumanayagua-Cienfuegos-Cuba


Longe de reconhecer a culpa pela rápida expansão que tomou a epidemia, o governo preferiu encontrar um bode expiatório, espalhando entre a população o rumor de que o contágio é devido à sabotagem implementada por "inimigos do sistema ". De acordo com esta versão, os inimigos da revolução poluíram uma planta de bombeamento de água em um setor de Cumanayagua,com a bactéria Vibrio cholerae . 


O boato tomou conta com a presença militar nesses lugares. 


A população reage 


Enquanto alguns estão satisfeitos com a forma que a crise tem sido tratada, outros estão indignados com as sugestões oferecidas pelo rádio, particularmente as relacionadas com a venda do desinfetante, pois o galão de Legia tem um custo de 25,00 cup o copo, o equivalente a Três Dias do salário médio. Não são poucos os pensionistas cujos pagamentos mensais são cerca de 150 cup e eles relataram que fica muito pesado comprar e pediram para o governo reduzir o preço. 


Durante uma reunião efetuada no Parque Central do Município, onde participaram representantes do partido e do governo,foi sugerido que o desinfetante seja adquirido por duas ou três famílias. 


As medidas tomadas até agora 


Brigadas de saúde, acompanhadas por carros com alto-falantes , percorriam as ruas e avenidas, informando ao público sobre as medidas sanitárias a serem aplicadas, ou seja, a compra de hipoclorito na rede de farmácias e desinfetantes nas lojas que vendem produtos do estado. 


Os caminhões-tanque que abastecem áreas afetadas- são polvilhados cal, esgotos e bueiros. Várias escolas foram fechadas, uma delas é a de economia Carlos Fonseca Amador. Para aquelas que ainda não fecharam, os pais estão tomando a iniciativa: optando por não enviar seus filhos para as escolas até que o problema seja corrigido. 


Neste momento ninguém se atreve a prever o tempo que levará para eliminar a epidemia, já que está longe de ser controlada. A infecção se espalha rapidamente.
Alarma sanitaria por cólera en Cumanayagua

Comentários