Comissão não vê erro em prescrição de Dipirona e Isoel Gomez Molina retorna ao trabalho segunda-feira


Receita que circula nas redes sociais

Uma comissão formada por representantes do Ministério da Saúde, da Secretaria da Saúde de Feira de Santana, da Coordenação Estadual do Programa Mais Médico e o tutor do médico cubano Isoel Gomez Molina, que atua na UBS do Viveiros, o ouviu na tarde desta quinta-feira, 21, sobre o caso da prescrição do medicamento Dipirona e concluiu que não houve erro no procedimento adotado. Ele vai retornar às atividades na próxima segunda-feira, 25 – foi afastado até que os fatos fossem devidamente apurados.


Dosagem correta para o uso de Dipirona

A reunião foi realizada na Secretaria de Saúde. Para o coordenador estadual do Programa Mais Médicos, Washington Abreu, a dosagem indicada pelo médico está correta. As 40 gotas indicadas não eram para ser ministradas em dose única, mas divididas em quatro vezes, a cada seis horas, como consta na receita, desde que a criança sentisse dor ou apresentasse um quadro febril, e explicou detalhadamente à mãe da criança que seriam dez gotas, apenas, por vez. Gilmara dos Santos afirmou em entrevistas que Isoel Gomez a orientou sobre fracionamento.



Washington Abreu explica que o médico prescreveu a dose diária, como é comum onde trabalhou, e não fracionada, comum no Brasil. “O ouvimos e ele confirmou que a dose deveria ser fracionada em quatro vezes. Não estou vendo problema na prescrição fracionada porque o raciocino clínico foi correto”. O coordenador afirmou também que a equipe não julgou a conduta do médico, mas esteve na cidade para ouvi-lo. Disse que os médicos do programa no estado passarão por reforço no treinamento na prescrição dos medicamentos da atenção básica. “O método deve ser ajustado”.



Comentou que foi correta a decisão da Secretaria de Saúde em afastar o médico até que a situação fosse esclarecida. “Foi uma maneira de preservá-lo e o programa, também”. A secretária de Saúde, Denise Mascarenhas, disse que a as declarações da mãe da criança bem como as avaliações feitas durante a reunião pesaram na decisão de manter Isoel Gomez no quadro do programa. “Tudo foi devidamente esclarecido”. Outro ponto foi o abaixo-assinados de 12 folhas e dezenas de assinaturas enviado pelos moradores do Viveiros, pedindo que o médico continuasse no conjunto.



Também participaram da reunião Eduardo Borges, tutor acadêmico do médico, Alexandre Viana, advogado do Ministério da Saúde e Valdenice Queiroz, chefe da Divisão da Atenção Básica da Secretaria de Saúde.


Prefeitura de Feira de Santana: http://www.feiradesantana.ba.gov.br/website/noticias.asp?id=7409

Comentários