Legistas definem carga horária e exigem Polícia Militar no IML

Na última quarta-feira, os legistas do IML de Maceió se reuniram com a direção do IML e da Perícia Oficial, além do Sinmed e chegaram a um acordo sobre o cumprimento da carga horária presencial de 20h semanais. O acordo estabelece a presença de dois médicos durante o dia e mais um durante a noite.

Para isso, será preciso que médicos do IML de Arapiraca, onde a demanda é menor, sejam transferidos para Maceió. O diretor do IML de Maceió, Antonio Mansur, ainda vai garantir uma sala de laudos equipada além do repouso dos médicos, que atualmente não existe. 


Finalmente, os legistas de Maceió aguardam que o policiamento do local passe a ser feito pela Polícia Militar. Essa é a última exigência para que o acordo seja colocado em prática. Na sexta-feira passada, foi encaminhado um ofício ao promotor de Justiça Flávio Gomes explicando detalhes do acordo e exigindo a presença da PM em substituição à Guarda Municipal, que não é armada e por isso não assegura a segurança necessária para o funcionamento do instituto em horário integral.

Comentários