Medicina em Cuba: se não tem dinheiro saia do jeito que você veio!



Hospital Hermanos Ameijeiras. Foto: es.wikipedia.org



Recordando os acontecimentos do Hospital Psiquiátrico de Havana em 2011,onde morreram mais de trinta doentes mentais em uma noite de inverno , com fome, sem proteção contra o vento frio daquela trágica madrugada , eu lhe asseguro que não existe urgência médica  em nenhum hospital da capital - e se você não tiver dinheiro é bom você esquecer a pronta resolução do seu problema.


Os portadores de doenças mentais  faleceram porque quem deveria dar assistência  estavam atarefados em apropriar-se dos alimentos, roupas de cama e outros bens disponibilizados para os funcionários do hospital para atender os internados. É uma tendência comercial , corrupta, estendida a todo o sistema de saúde pública de Cuba.

A Odontologia é uma das atividades mais cotizadas , com preços mínimos de 20 Pesos Convertíveis ( CUC) por várias extrações e obturações , independentemente da prótese , cujo valor seria o dobro ou mais . Muitas vezes " falta" a anestesia, mas por 5 CUC , o caso está resolvido.

Existe ainda as filas para ser visto pelos médicos de qualquer especialidade. Até a mídia estatal , partidária, fraca e tendenciosa, denunciou recentemente o chamado " nepotismo ", que consiste atender certos cidadãos de vez em quando, porque eles levam , antes ou depois , bons presentes para os médicos.

Conheço o caso de uma mulher que sofria de hemorragia por mioma , operada no hospital Hermanos Ameijeiras, que deu dois peixes de 5Kg para cada um dos cirurgiões que participaram da sua cirurgia . Se eles não tivessem feito, a pobre mulher deveria esperar um ano , porque a fila para cirurgia é longa.

É popularmente conhecido como hospital de "emergências" , oficialmente General Freyre de Andrade , porém nada tem do suposto prestígio de um século. Transferir uma pessoa de uma sala de admissão ao departamento de radiografia pode levar longas horas, alteradas por alguns minutos , se você oferece propina.

As Ambulâncias representam outra esfera conhecida da corrupção. Ao fazer o pedido de assistência , o chamador deve previamente ser treinado para encenar uma peça de teatro , para expressar a máxima angústia em sua voz , acrescentando extremo detalhes sobre o estado do doente . Voltando para casa, quando o paciente recebe alta , é outra questão. Sem lágrimas ,tampouco urgência . A única solução é colocar a mão no bolso , e pagar quase o mesmo que um motorista de táxi cobraria pelo serviço .

Causa ira ouvir ou ler a proclamada Saúde gratuita dentro do país , enquanto as coisas que acontecem diariamente , são conforme o que foi descrito acima. 

O MINSAP coloca banners em centros de saúde , informando sobre os custos aproximados desses serviços , evidentemente altos , como uma ameaça de quanto pagaríamos se eliminassem a proclamada e mentirosa saúde gratuita.

As Pessoas viram o rosto para os cartazes, pensando que  de fato, o que eles chamam grátis se está pagando duas vezes , porque , como é sabido em economia, nada é realmente gratuito nos serviços públicos. Os custos vêm do suor de quem deveria receber a devida atenção , agora acessível, se agregam os pagamentos adicionais exigidos pela corrupção.

Finalmente, a falta de especialistas em nossos hospitais , especialmente os mais qualificados , porque milhares deles vão para o exterior , onde pelo menos recebem uma pequena parte dos bons salários que são oferecidos nos países que rubricaram os contratos com Cuba.

Não há segredos , a origem da situação é explicada com números de economia de todos os dias. O Doutor recebe por mês o equivalente a 20 ou US $ 30. Trabalhando no estrangeiro é um pouco mais , com outras opções para o estado Cubano que fica sempre com a parte grossa do bolo.

Para transição direta , os afetados que estão mais abaixo na escala  são a maioria do povo cubano , como eu disse anteriormente, não possuem dinheiro para pagar os serviços médicos no subsolo(com propinas) , devem voltar para casa, digo ... ir para o inferno(Se F...) , como se diz em bom cubano 

Do original:
Medicina en Cuba: ¡si no hay dinero váyase por donde vino!


Leia também:
Mistério Cubano: A medicina por trás de Codinomes 

Comentários