Psicologia para modificar atitudes de pacientes insatisfeitos que tentam abandonar a moral socialista - "Cuba,Principios de la Ética Médica"

Comunismo cubano escolheu a saúde e a educação para o controle psicossocial da população




O fim justifica os meios: com este axioma, moralmente inaceitável, publicitários pró-comunistas tentaram até um passado recente desculpar os crimes de uma ideologia "intrinsecamente perversa" que no século XX, sacrificou a vida de 100 milhões de pessoas. 


Hoje em dia, em relação à Cuba comunista, uma inesperada retórica de certos líderes ocidentais estão alterando a ordem dos fatores que contribuem mesmo involuntariamente,para reforçar o produto: os meios (vistos por esses líderes como bons frutos) de alguma forma justificariam de alguma maneira o fim . 

Sim. No espaço de poucas semanas, dois líderes, um da maior potência na América do Sul e outro do maior poder material na terra, elogiaram as supostas "conquistas" que no campo da educação e saúde, teria alcançado a revolução comunista em Cuba. O segundo, na conferência de imprensa transmitida para todo o mundo chegou a elogiar este suposto resultado como "meritório e digno de louvor." 


Na verdade, a educação e os cuidados de saúde foram escolhidos pelo comunismo cubano como dois dos meios mais eficazes para a doutrinação da juventude e de controle psicossocial da população. Isso se explica porque ambas atividades possuem um instrumental capaz de influir profundamente sobre o comportamento humano e da personalidade em geral, e modificá-los .É reconhecido pelo Comunismo cubano quando a nova Constituição coloca a "ideologia marxista" como um postulado fundamental da "educação" e da "cultura" e registra o objetivo específico de promover "a educação comunista das novas gerações" ( cap. V, art. 39). Reconhece o comunismo cubano quando nos "Princípios de Ética Médica", impressos pelo Partido Comunista de Cuba (PCC)quando o manual afirma explicitamente que a pedra angular da atividade do médico da ilha está constituída pelos "princípios éticos da moralidade comunista "e quando no livro" Medicina Geral Integral dos médicos de família ", fornece o instrumental da psicologia social para modificar as" atitudes indesejáveis ​​"de pacientes insatisfeitos,que tentam abandonar" os princípios da moral socialista "(Editorial Pessoas e Educação, Havana, 1987, vol. I, p. 188 e ss.)


O P. Donegana, do Pontifício Instituto para as Missões Extrangeiras (PIME), mostrou antes da visita do Papa a Cuba - em relatório gritante publicado pela revista "Mondo e Misione" - quanto a "educação" ensinada nas escolas da ilha- prisão contribui para a degradação moral e perversão sexual de adolescentes e jovens. 

A Alfabetização e cuidados de saúde - são principalmente instrumentos para levar os Cubanos a meta comunista - também foram questionados. Vários cientistas sociais e economistas mostram as manipulações estatísticas do regime de Havana, o que coloca em dúvida as taxas e seus supostos sucessos. 

Em Granada, como relatado por Armando Valladares, foram encontrados manuais cubanos com instruções como realizar dois conjuntos paralelos de estatísticas: uma para consumo interno e outro para fins publicitários. Enquanto isso, o clássico livro "O comunismo cubano", editado por Louis Irving Horowitz, traz vários capítulos onde se constatam manipulações de dados em questões sócio-econômicas. 

Mas muito acima destes e de outros documentos que poderiam ser apresentados, é a regra infalível ensinada por nosso Senhor Jesus Cristo: a árvore má não pode dar bons frutos (cf. Mt 7, 18). Aqueles no Ocidente, apesar de suas boas intenções e seu desejo de liberdade para a ilha, que continuam elogiando os "frutos" da árvore comunista contribuem para justificar e legitimar, de um jeito ou de outro, a própria árvore má. 


Uma das conseqüências mais preocupantes é que tais elogios são caudatários de um verdadeiro trabalho de "engenharia" publicitária, atualmente em andamento, que está sendo desenhada no horizonte o "mito" de um comunismo estilizado, livre do seu pecado original; que, lado a lado com o "mito" de Che Guevara, está se preparando para entrar de contrabando no terceiro milênio que se aproxima. Os praticantes dessa publicidade - parafraseando a exclamação na França, quando falecia um rei, e era imediatamente aclamado seu sucessor - se apressavam em dizer: "O comunismo está morto, viva o comunismo !" 

No entanto, nenhum processo humano - político, social, cultural, etc -é Irreversível. O homem é um ser racional e livre, e por isso é capaz de discernir o trigo do joio. Acima de tudo, a Divina Providência é responsável pela proteção evitando que o brilho ofuscante da propaganda do mal jamais prevaleça sobre a luz da verdade. 

Do original:


Comentários