A exploração dos médicos internacionalistas e a vigilância dos Agentes de Cuba

A discriminação salarial contra o médico cubano é marcada, e é resultante da omissão e cumplicidade do governo brasileiro e do abuso do estado - patrono de Cuba.

Cada equipe de médicos internacionalistas é acompanhada por agentes de segurança do Estado de Cuba a fim de evitar a liberdade de locomoção monitorando seus movimentos e expressões..

Ao permitir isso, o governo receptor dos médicos , torna-se cúmplice de tais violações dos direitos humanos.






Médicos cubanos estão indo para o Brasil após a assinatura de um acordo entre os dois países, para que o primeiro forneça 4.000 médicos a um custo de US $ 4,080 dólares por mês por cada um, perfazendo o total de cerca de US $ 200 milhões por ano . O fato suscitou protestos de sindicatos médicos brasileiros , que também relataram que os contratos têm características de trabalho escravo.
Médicos Cubanos no Brasil: Escravos do Século XXI


A comercialização Cubana do trabalho realizado pelos profissionais médicos tem ocorrido desde o início do governo de Castro . Em 1963 saiu a primeira missão médica de Cuba para a Argélia . Atualmente 66 países têm profissionais de saúde Cubano trabalhando,e que em termos econômicos , representa uma renda para Cuba de cerca de $ 6,000 milhões por ano.


O crédito recebido pelo governo cubano através de tais transferências de trabalho qualificada não é só os lucrativos benefícios econômicos , mas a projeção internacional da imagem de " bondade do regime com os necessitados ".Dentro destes contingentes internacionalistas , a ditadura injeta os agentes que são utilizados para fins de espionagem ,de difusão ideológica e propaganda política para os movimentos aliados ao Castrismo nesses países e também para a infiltração de agentes desestabilizadores nos governos cuja afinidade não esteja dentro dos modelos ou alianças aceitáveis para o regime cubano .


Assim, vemos por exemplo, como o pessoal de inteligência cubana entrou na Venezuela com o pessoal médico ou técnico da saúde para realizar trabalho de inteligência para o governo Chávez , enquanto alguns tornaram-se arautos do Chavismo, e outros foram reunidos em organizações de comités de vigilância e de grupos e repressão contra a oposição venezuelana .



O conjunto de benefícios políticos e econômicos tem motivado a ditadura a promover a produção em massa de pessoal de saúde , inclusive ao custo de diminuir a qualidade do ensino das ciências médicas.


Médicos Cubanos em Missão no exterior

Em países como Nabimbia , o regime de Cuba recebe mensalmente US $ 6,335 dólares por médico , $ 3,104 por engenheiro em reparação de equipamentos médicos, $ 3,850 por enfermeiro, e $ 2,590 por cada técnico de saúde . No entanto , o governo cubano paga a estes profissionais de saúde uma pequena migalha após roubar o dinheiro que foi produzido com o suor dos profissionais .

O médico cubano muitas vezes é enviado para áreas remotas onde tem que trabalhar em condições degradantes e perigosas. Por seu trabalho o governo cubano paga cerca de US $ 300 por mês para despesas e salário de cerca de US $ 500 por mês que somente receberá quando retornar da missão. O salário de um médico em Cuba é de 450 pesos nacionais, cerca de US $ 20 por mês.

Uma das razões que muitos médicos cubanos se inscrevem em tais aventuras é porque nos países estrangeiros podem obter itens que não existe em Cuba podendo levar os insumos para aliviar um pouco as necessidades de sua família.


No entanto, quando comparamos com os 100 médicos espanhóis que Espanha enviou ao Brasil , esses recebem na íntegra os US $ 4.000 $ mais ajuda para habitação e outros benefícios. A discriminação salarial contra o médico cubano é marcada, e é resultante da omissão e cumplicidade do governo brasileiro e o abuso do estado - patrono de Cuba.

É inegável que , nesses casos,se produza uma exploração clara dos profissionais de saúde cubanos por parte de Cuba e do Brasil. Como também nos outros 66 países que recebem médicos cubanos ao redor do mundo . A esse aspecto deve ser acrescentado não só as péssimas condições de trabalho , mas também violações dos direitos humanos dos trabalhadores da saúde cubanos nestes países estrangeiros.


Cada equipe de médicos internacionalistas é acompanhada por agentes de segurança do Estado de Cuba a fim de evitar a liberdade de locomoção monitorando seus movimentos e expressões ,com a finalidade de devolvê-los como punição a Cuba caso eles entendam que a sua lealdade para com a revolução cubana tenha sido minada. Ao permitir isso, o governo receptor dos médicos , torna-se cúmplice de tais violações dos direitos humanos. Além de constituir ,como bem apontou a Federação Nacional dos Médicos do Brasil ( Fenam ) , uma violação das Convenções da Organização Internacional do Trabalho ( OIT) .

O ponto fundamental da contratação de médicos cubanos para prestação de serviços não é o fato de que as pessoas pobres em áreas isoladas recebam serviços médicos , pois somos da opinião de que todo ser humano possua o direito à saúde . O problema é que é imoral e contrário à dignidade dos trabalhadores, que tais serviços sejam prestados por pessoas escravizadas por um estado , ao custo da exploração do trabalho e violação dos seus direitos humanos. 

Por que ao médico cubano não se entrega o salário total que é pago por cada um ao Estado cubano ? Não pagar diretamente a eles é exploração . Por que o médico cubano tem que estar vigiado , censurado em sua expressão e mobilidade , e na liberdade de contrato? Não respeitá-los em seus direitos humanos é também uma forma de exploração e escravidão . E a responsabilidade é toda do governo cubano , como do país que se beneficia da obra escrava dos profissionais de saúde de Cuba.


Traduzido do original pelo Blog Alagoas Real.
Se copiar,citar a fonte!

Misceláneas de Cuba
Correo postal:
Arenavägen 41,
121 77 Johanneshov, Sweden
E-mail: info@miscelaneasdecuba.net

La explotación del médico cubano por los estados. Sergio Ramos

Comentários