Brasil é o maior marqueteiro da pseudo-saúde de Cuba

Com a implantação do programa Mais médicos, o governo Brasileiro  além de ajudar a financiar a ditadura cubana, tornou-se o maior marqueteiro midiático do pseudo-avanço de uma saúde que só existe no papel. Bom para o governo do PT , que encontrou uma saída para  alavancar a reeleição de Dilma em 2014, bom para o Padilha que usa essa utopia como bandeira de gestão, e melhor ainda para o regime ditatorial Cubano que tem propaganda de graça com divulgação mundial  e dessa maneira consegue engordar ainda  mais os cofres da burguesia Castrista.

Usando verbas de publicidade e contando com o apoio dos twitteiros de plantão e  robots, a mídia jornalística semeia diuturnamente  mensagens que versam sobre os mais variados temas pertinentes ao Mais Médicos. Desde a comparação com os profissionais da área médica do Brasil,que vai do subliminar a realidade aos olhos deles,a propaganda de uma medicina que não é baseada em evidências científicas,mas nos interesses de um governo.


O tema  das mensagens  é basicamente centrado na emotividade com frases que são repetidas com frequência. Com características fundamentalistas afirmam que os Cubanos olham nos olhos, tocam e apalpam os pacientes e que têm  muito amor  para compartilhar com os brasileiros humildes devido ao conceito revolucionário que carregam, e que no Brasil existe falta de solidariedade e amor ao próximo.Desse modo e com essa ladainha, alguns brasileiros e cubanos vivem promovendo o utópico socialismo bolivariano com intenção de sedimentar no inconsciente coletivo que  somente os sentimentos de bondade e o correto ato médico são exclusivos da medicina comunista.
Falta amor.diz cubana em reportagem do G1 em 21 de janeiro de 2014

"O inconsciente coletivo é tudo menos um sistema pessoal encapsulado, é objetividade ampla como o mundo e aberta ao mundo. Eu sou o objeto de todos os sujeitos, numa total inversão de minha consciência habitual, em que sempre sou sujeito que tem objetos. Lá estou eu na mais direta ligação com o mundo, de forma que facilmente esqueço quem sou na realidade. 'Perdido em si-mesmo' é uma boa expressão para caracterizar esse estado. Este si-mesmo, porém, é o mundo, ou melhor, um mundo, se uma consciência pudesse vê-lo. Por isso, devemos saber quem somos" Obras Completas, vol. IX/1 -"Jung"Tito R. de A. Cavalcanti


A demonização dos médicos brasileiros,infelizmente começa por quem deveria dar exemplo ao país.Veja o print screen !
Dilma volta a demonizar os médicos brasileiros  acusando-os de negligentes. E dá a receita:  os brasileiros  precisam   de cubanos que possam apalpá los    Veja


Existe até a criação de novos  mitos em terras estrangeiras ,como ocorreu com o Delgado,que de uma hora para outra foi escolhido,Deus sabe por quem, o homem de 2013  passando a ocupar as primeiras páginas dos portais brasileiros e Cubanos.Nas pradarias da ilha prisão o médico foi decantado em versos e prosas como o verdadeiro modelo da medicina comunista dos Castro.


Quando repetem o mantra " que o dinheiro não é tudo na vida de uma pessoa",os médicos cubanos tentam  justificar o projeto de escravidão que vivenciam há mais de 50 anos,em especial muito propagandeado por essa  nova casta composta pelos funcionários da saúde.É importante recordar que em Cuba o salário mensal de um médico não passa de 20 dólares,e que os Cubanos em Missões Oficiais com salários bem diferenciados,estão ocupando  dentro de uma mesma profissão,um grau a mais na pirâmide escravagista implantada por Fidel e Raúl Castro.Na sociedade onde o catador de latinhas é  profissão emergente, trabalhar nos confins de um Brasil,nas selvas Bolivianas e nos morros de Caracas é ter o céu aqui na terra!


De acordo com preceitos do Código de Ética Médica Cubano,formulado pelo Partido Comunista de Cuba" no socialismo o indivíduo tem de estar sujeito ao interesse social , e a sociedade ao serviço da humanidade, a prática privada da medicina gera um conflito filosófico com o sistema socialista e, na prática e nos métodos com a medicina socialista ". Link

 Os galenos da escola de Medicina criada por Fidel estão subordinados a esse código de ética comunista,portanto é normal encontrar essa passividade e o conformismo retórico e por vezes as falácias altissonantes nesses escravos(tenho algumas dúvidas, já que eles obtêm inúmeras vantagens em detrimento dos colegas que ficaram na ilha) modernos do Século XXI

Por hoje é só!
Mário Augusto

Comentários