Ceará em alerta máximo para o diagnóstico de Sarampo - Boletim Epidemiológico

GOVERNO DOESTADO DO CEARÁ
 Secretaria da Saúde

Considerando, a confirmação de surto de sarampo em Pernambuco e casos confirmados relacionados à importação, nos estados de São Paulo, Minas Gerais, Santa Catarina, Paraíba e Distrito Federal, além de surtos em vários países da Europa e África;

Considerando caso fortemente suspeito de sarampo (em investigação laboratorial) no Ceará;

Considerando que o Ceará é um Estado de grande fluxo de turista advindos de todos os Estados e de outros Países;

Considerando, a baixa homogeneidade de cobertura vacinal da Vacina Tríplice Viral em determinadas regiões do Estado do Ceará;

A Secretaria da Saúde do Estado do Ceará, através do Núcleo de Vigilância Epidemiológica / Coordenadoria de Promoção e Proteção à Saúde (NUVEP/COPROM), em consonância com as recomendações da Secretaria de Vigilância em Saúde – Ministério da Saúde resolve, por precaução, ALERTAR municípios, hospitais, clínicas, unidades de saúde, laboratórios, portos, aeroportos (públicos e privados), municípios limites com outros Estados sobre orientações de detecção, diagnóstico e medidas de prevenção e controle do sarampo.

- Esta nota de alerta deve ser divulgada amplamente para os profissionais de saúde. Definição de caso suspeito de Sarampo

O sarampo é uma doença viral aguda, com elevada transmissibilidade e que pode acometer pessoas de qualquer idade não vacinadas. A vacina contra o sarampo é a medida preventiva mais eficaz. Atualmente essa vacina pode ser encontrada em todas Unidades de Saúde dos Municípios e do Estado.

Caso suspeito é todo paciente que, independente da idade e da situação vacinal, apresentar FEBRE e EXANTEMA maculopapular, acompanhados de um ou mais dos seguintes sinais e sintomas: tosse e/ou coriza e/ou conjuntivite; OU todo indivíduo suspeito com história de viagem ao exterior nos últimos 30 dias ou de contato, no mesmo período, com alguém que viajou ao exterior.


Intensificação da Vigilância Epidemiológica do Sarampo

- Identificar oportunamente a ocorrência de novos casos suspeitos;

- Notificar IMEDIATAMENTE, em até 24 horas, à Secretaria Municipal de Saúde a
ocorrência de casos suspeitos;

- Coletar sangue e espécimes clínicos (secreção de oro e nasofaringe e urina) para realização de sorologia e identificação viral e enviar ao Laboratório Central de Saúde Pública (LACEN/CE) de forma oportuna, ou seja, até no máximo 48 horas após a coleta;

- Avaliar as coberturas vacinais de rotina em todos os municípios;
- Realizar a busca ativa de casos suspeitos não notificados nas unidades de saúde públicas e privadas (hospitais, unidades básicas, laboratórios, clínicas etc.).Intensificação das ações de Imunização contra Sarampo
- Realizar busca ativa de não vacinados, na faixa etária de 1 a 39 anos e atualizar a vacinação, conforme as seguintes orientações: a. Faixa etária de 1 a 19 anos: primeira dose de tríplice viral (sarampo, rubéola e
caxumba) e segunda com intervalo mínimo de 30 dias; b. Faixa etária de 20 a 39 anos: uma dose da vacina tríplice viral (sarampo, rubéola e caxumba);
- Registrar no Sistema de Informação do Programa de Imunizações (SI-API), as doses aplicadas das vacinas segundo as faixas etárias. Algumas atividades de imunização já foram realizadas no ano de 2013 a fim de prevenir a entrada do vírus do sarampo no Estado durante eventos em massa, como a Copa das Confederações e em preparação para a Copa do Mundo de Futebol. Profissionais do setor hoteleiro, taxistas, profissionais de saúde e viajantes tiveram seu esquema vacinal atualizado. A cobertura vacinal de rotina em crianças de 1 ano, no Ceará, no ano de 2013 foi de 102,66%. Porém, existem municípios com cobertura abaixo de 95%, sendo assim, uma cobertura vacinal não homogênea (Figura 1).

Figura 1. Cobertura Vacinal de Vacina Tríplice Viral (contra sarampo, caxumba e
rubéola) de rotina em crianças em de 1 ano de idade, em 2013, no Ceará. Fonte: SESA/COPROM/NUVEP/SINANWEB. Dados sujeitos à revisão.


Intensificação das ações de vigilância laboratorial

- Liberar resultados dos exames oportunamente, ou seja, até o 4º dia da chegada daamostra no Laboratório;
- Em casos de exames confirmados em Laboratório Particular, envio do mesmo soro para análise no Laboratório de Referência do Estado (LACEN/CE) e notificar à SMS. Medidas Imediatas diante de um caso suspeito

• Profissionais de Saúde: assistência médica ao paciente, proteção individual para evitar circulação viral (isolamento domiciliar ou hospitalar), notificação do caso em até 24 horas, investigação em até 48 horas, bloqueio vacinal em até 72 horas, coleta de espécimes clínicos (sangue, urina, exsudato de naso e orofaringe) para confirmação diagnóstica, proteção da população com vacinação de suscetíveis.
• População: após constatação de sinais e sintomas de sarampo buscar atendimento médico imediatamente na unidade de saúde mais próxima da residência.

A detecção de casos importados e de casos relacionados à importação em países em que a interrupção da transmissão já foi alcançada, como no Brasil, Estados Unidos e em outros países das Américas constitui um evento que aponta para a necessidade da manutenção de vigilância epidemiológica ativa e alerta para novas eventuais ocorrências. O Ministério da Saúde ressalta que, como em todas as investigações de casos suspeitos de sarampo no país, a conclusão final de todos os casos notificados somente será divulgada
após os exames confirmatórios realizados no laboratório de referência nacional (FIOCRUZ/RJ), sem nenhum prejuízo às medidas a serem adotadas.

Referências :
Disque Saúde do Ministério da Saúde: 0800-61-1997
- Secretaria da Saúde do Ceará: http://www.saude.ce.gov.br
- Ministério da Saúde: http://www.saude.gov.br

- ANVISA: http://www.anvisa.gov.

Comentários