Celac em Cuba enterra a Carta Democrática Interamericana

O especialista em assuntos interamericanos José Cárdenas diz " En Paz Descanse la Carta Democrática Interamericana ",em um artigo da revista Foreign Policy sobre a celebração em Havana da Segunda Cúpula da Comunidade da América Latina e do Caribe , CELAC
Propaganda da II Cúpula dos membros da CELAC em Cuba,2014



Cárdenas diz que a jovial reunião de líderes regionais em Cuba não democrática,  marca o enterro do histórico documento assinado por todos os países do Hemisfério Ocidental , em setembro de 2011, que estabeleceu como norma que "os povos das Américas têm direito à democracia e seus governos têm a obrigação de promovê-la e defendê-la "

Quase 13 anos depois a carta tornou-se insignificante , e pior , diz o autor, é que ninguém parece se importar .


Cárdenas lembra que as diligências para criar a CELAC foi com a intenção expressa de exclusão dos EUA e Canadá  liderada pelo falecido presidente da Venezuela , Hugo Chávez . Hoje Raul Castro está prestes a concluir um ano no comando da agência ,embora que para ser membro da CELAC qualquer governo tem obrigação de " respeitar os direitos humanos e as liberdades fundamentais "

Buscando ilustrar a forma como o regime de Castro está preparado para o conclave , o escritor cita  a blogueira cubana Yoani Sánchez em seu blog Geração Y:



José Cardenas conclui dizendo que a Mascarada Havana mostra que o culto a Chávez ainda paira sobre a região como uma praga , e que líderes sérios continuam mostrando uma aquiescência maliciosa ante os danos dos altissonantes e irresponsáveis populistas do continente e suas agendas e teses retrógradas
​​.


Traduzido pelo Blog Alagoas real
Se copiar ou criar link,é obrigatório citar a fonte

Do original:
Celac en Cuba entierra Carta Democrática Interamericana

Comentários