Ditadura Cubana e a Operação militar contra as crianças nas festividades dos Reis Magos

O governo cubano lançou na manhã da sexta-feira, 3 de janeiro, uma operação militar para impedir que as Damas de Branco e vários oponentes entregassem brinquedos para crianças em Havana, Santiago de Cuba e Holguín em comemoração ao Dia dos Reis Magos no próximo dia 6 de janeiro .
Damas de Branco e atividades para o Dia dos Reis

Agentes de Segurança do Estado e do PNR apreenderam brinquedos que as Damas de Branco e oponentes dariam as crianças cubanas.




Em Havana foram detidos o ex- prisioneiro político do Grupo dos 75 Anjo Moya e sua esposa Berta Soler, representante nacional das Damas de Branco, enquanto que no leste de Santiago, José Daniel Ferrer, coordenador nacional da União Patriótica de Cuba (UNPACU ), juntamente com outros cinco adversários.


Moya Acosta disse que "a atitude do regime cubano de reprimir as Damas de Branco e ativistas de direitos humanos quando tentavam distribuir brinquedos gratuitos para crianças contrasta com a atitude do Governo de Cuba de vender brinquedos caros para as pessoas em lojas habilitadas para tal propósito a fim de conseguir sacar dinheiro da população cubana ".


A polícia Castrista entrou na sede das Damas de Branco em Havana e apreendeu brinquedos que deveriam ser entregues às crianças na segunda-feira. Também levou papéis e roupas da falecida líder do grupo feminino Laura Pollan.


Laura Labrada, filha de Pollan, foi presa a poucos quarteirões da sede, que já naquela hora operava as forças de segurança do Estado. A Rádio Martí entrevistou Labrada logo após ter sido liberada.


Soler disse um agente da segurança do estado cubano identificado como Reinier, apareceu na casa da Dama de Branco Daisy Ponce Arencibia e leu um comunicado que dizia que o governo cubano não permitiria "que os contra-revolucionários tivessem atividades mercenárias com as crianças de Cuba. "


Rosa María Nieves, um membro das Damas de Branco, em Holguín, relatou a prisão de vários ativistas, acrescentando que a polícia política levou tudo o que tinha preparado para dar aos filhos e as crianças, ou seja, brinquedos, refrigerantes e pão.

Do original:
Operación militar contra la inocencia infantil


Veja também:

Comentários