Estado de Alagoas ainda não pagou os 47,18% dos aposentados


O Estado ainda não pagou a incorporação da GPF aos médicos aposentados. Os valores, devidos desde o salário de novembro, foram prometidos para o dia 15 de dezembro devido à demora do AL Previdência para elaborar a folha suplementar. Não saiu. Depois foi dito que sairia até o dia 20 e, finalmente, ficou para o dia 30 de dezembro. Até a última sexta-feira, 3, a incorporação dos 47,18% não tinha sido implantada nas aposentadorias e nem os aposentados tinham recebido o retroativo de novembro e o do 13º salário.

Para o Sinmed, o atraso, que é responsabilidade da Secretaria de Gestão Pública e do AL Previdência, é uma falta de respeito com quem dedicou uma vida inteira de serviços ao Estado. A luta para que os aposentados fossem beneficiados com a incorporação da GPF foi árdua, pois o Governo não queria estender a melhoria salarial aos que não estavam mais na ativa. Mas como o Sinmed entendia que os aposentados mereciam, depois de tantos anos de trabalho mal remunerado, insistiu para que fossem beneficiados.

Agora, como o Estado não paga multa pelo atraso na implantação do benefício, está ocorrendo essa demora que, de outra forma, não se justifica. “Por mais lento que seja o sistema de elaboração da folha do AL Previdência, já houve tempo de sobra para que a incorporação fosse implantada e os valores em atraso fossem quitados. Além de representar uma falha da SEGESP e do AL Previdência, essa demora representa uma falta de respeito imperdoável com os aposentados”, afirma o presidente do Sinmed, Wellington Galvão. Caso no decorrer da semana que inicia essa situação persista, a direção do Sinmed vai procurar a SEGESP e o AL Previdência para saber o real motivo da demora e cobrar uma definição sobre o pagamento.

Comentários