Farmácias e drogarias rejeitam receitas de médicos cubanos

"Não vou aceitar uma receita de um médico do qual não sei sua procedência, pode ser um jardineiro ou veterinário em Cuba e se diz ser um médico, aqui em Mafra", destacou uma farmacêutica de drogaria de Mafra.

Pacientes dos postos de saúde da Restinga no município de Mafra, têm enfrentado dificuldades para adquirir medicamentos gratuitos fornecidos pelo programa federal “Farmácia Popular”. Drogarias da cidade não estão aceitando receitas expedidas por médicos estrangeiros. O município conta com três clínicos cubanos já atuando no município através do “ Programa Mais Médicos”.

O impedimento imposto pelos estabelecimentos se deve à inexistência do número do registro do profissional junto ao Conselho Regional de Medicina (CRM) no carimbo batido na receita. A Prefeitura de Mafra ainda não soube informar quantas pessoas teriam sido prejudicadas, mas a providência a ser tomada é entrar em contato com o Ministério da Saúde e com as farmácias da cidade na tentativa de sanar o problema.

As drogarias estão orientadas pela classe médica a não aceitar as receitas sem o CRM. Algumas farmácias tem aceito, como é o caso da Farmácia Santa Catarina.

Apenas uma em Rio Negro (PR) aceitou a prescrição sem o registro do CRM. As outras informaram que aguardavam novas orientações.

Vários atendentes de drogarias de Riomafra ao serem questionados pela reportagem do SBCMafra do porquê da recusa em aceitar receituário preescrito por médico cubano a resposta é a mesma - no momento em que tentamos fazer o cadastro da compra, o sistema pede o número do CRM do médico. Sem o registro fica impossível concluir a ação,- alegou uma atendente.

Orientação

Na verdade, o Conselho Regional de Farmácia de Santa Catarina informa que o farmacêutico é obrigado, por lei, “a somente aceitar receitas que tenham a identificação do nome do médico e o seu respectivo número de inscrição no CRM”.

O Ministério da Saúde, porém, garantiu que todos os profissionais do programa “Mais Médicos” com registro emitido pela pasta federal já estão cadastrados no sistema de vendas do “Farmácia Popular”, e que o caso é de comprometimento de alguns propietários de farmácias e drogarias com médicos brasileiros Leia mais

Comentários