"Mais Médicos": Acordo com Cuba foi realizado em 2003 por Lula e Fidel


Em reportagem de 2004 o jornalista Armando Añel do site Espanhol Libertad Digital alertava sobre o protocolo para a importação de médicos cubanos para o Brasil,realizado durante a visita de Lula a Cuba de Fidel Castro em setembro 2003. 


Cuba,setembro de 2003- Lula e Fidel


Tráfico de Jalecos Brancos,por Armando Añel

Cada dia desencalham relatórios , provas, evidências da extenuante penetração regional, exercida freqüentemente pelo regime de Fidel Castro nos ingênuos ou incompetentes ou indolentes estados latino-americanos . Isso acontece ao mesmo tempo que o regime de Castro atravessa a mais íngreme crise econômica e de credibilidade de toda sua história .

Está sendo discutido no Brasil a relevância de médicos que seriam enviados por Castro para prestar serviço no gigante sul-americano sem a necessidade de validar seus títulos por meios de exames que avaliam as suas qualificações e que foram instituídos há meio século . Determinado a implementar o protocolo de intenções assinado em setembro passado com o líder cubano durante a visita em que ele esqueceu os prisioneiros de consciência(Opinião) ,o Sr. Luiz Inácio Lula da Silva criou uma comissão interministerial sobre o assunto- a sociedade brasileira começa a vislumbrar mesmo de forma indireta , a lenta trama que se aproxima. Esta é uma nova ofensiva no campo da " batalha de ideias " implantada por Havana, em que a cabeça de praia formada pela classe médica desempenha um papel decisivo.

Este remédio onde a chave terapêutica é composta pelas batas blancas(Médicos de jaleco) ,é constituído por aqueles que deveriam praticar dignamente sua profissão em Cuba, mas são levados traídos , chantageados e manipulados em troca de alguns dólares ,na esperança de não ser mais marginalizados em sua própria terra -além da oportunidade de viajar para o exterior e adquirir produtos deficitários ou hiperinflacionados lá na ilha ,ou mesmo diminuir a falência da família e / ou vadear na piscina estagnada de uma classe média imaginária - que alcança não só a Venezuela, onde o Castro- chavismo tem carta branca , mas em países que se encontram formalmente "fora da influência ",dos Castro como o Brasil e o Paraguai. 

Ninguém menos que o ex- ministro da Saúde dessa última nação elogiou em seu dia o " internacionalismo " insular , enfatizando a chamada ditadura abrangente que colocou os seus postos avançados em três continentes. 

Ladeado por seu retrato junto com Fidel Castro , o antigo seguidor de Stroessner -Martin Chiola , que foi expulso do governo de Gonzalez Macchi sob a acusação de negligência criminosa e corrupção - assegurava a imprensa oficial cubana que as batas brancas do regime contribuíram decisivamente "para o sistema estatístico e de referência, treinamento de promotores e inserção nas comunidades do Paraguai " .

Paradoxalmente, o Chiola citado acima parece que esta implicado na cessação de salários que o departamento paraguaio de San Pedro , no final de 2002 , deixou de pagar a vários médicos que foram enviados por Havana. O fato é que uma dúzia deles amagaram para deixar a área ,já que o governo provincial não pagava os cem dólares mensais que eram destinados " aos custos de mobilidade e de comunicação com suas famílias" .Esse exemplo serve para comprovar a evidência que : a nova medicina cubana esta dividida entre a miséria e o medo, refém de suas legítimas aspirações para comer, fazer compras, viajar , viver , e também pela própria circunstância institucionalizada da chantagem.



Traduzido pelo Blog Alagoas real
Se copiar ou criar link,é obrigatório citar a fonte
Do Original
CUBA 08-02-2004
Trata de batas blancas

Armando Anel (Havana, 1966). Escritor cubano e editor. Entre os anos de 1998 e 2000 trabalhou como jornalista independente em Cuba, sendo co-fundador e vice-presidente do Grupo de Trabalho Decoro . Tendo recebido o prêmio ensaio anual Fundação Friedrich Naumann, na primavera de 2000, ele viajou para a Europa, onde viveu em vários países até se estabelecer em Miami, Estados Unidos, no verão de 2004. Literatura e seus artigos aparecem regularmente em publicações nos Estados Unidos, América Latina e Europa e já publicou dois livros. Atualmente edita o blog  Cuba Inglesa.


Comentários