Globo já fala mal do Mais Médicos


Uma reportagem exibida no Jornal Nacional, na semana passada, mostra que até a Rede Globo já reconhece a furada que o Mais Médicos representa para o Brasil e a população pobre do país. Desde o lançamento do programa, em junho do ano passado, as reportagens nos telejornais da emissora sempre eram favoráveis ao Mais Médicos, condenando a resistência das entidades médicas nacionais. Agora, a história mudou.

O programa federal foi mostrado na reportagem do JN como cheio de falhas, a começar pela contratação de trabalhadores de forma ilegal – sem vínculo trabalhista formal. Também foram mostrados os riscos que representa para a população a falta de qualificação dos profissionais trazidos de outros países, principalmente os vindos de Cuba.

A reportagem também abordou a debandada dos cubanos, rumo aos Estados Unidos. De acordo com o JN, 93 deles já abandonaram o Mais Médicos. Além dos casos conhecidos dos que pediram asilo político aos Estados Unidos, também tem os casos dos que fugiram sem deixar rastros e cujo paradeiro é desconhecido. Tem ainda o caso da médica que quer ficar no Brasil, e que cobra diferenças salariais e indenização por danos morais.

Tudo o que chega aos noticiários sobre o programa Mais Médicos – exceto, evidentemente, o que é propaganda do governo – tem confirmado tudo o que as entidades médicas nacionais denunciaram desde o início. No Brasil, não faltam médicos, mas a dificuldade de interiorização se deve aos baixos salários e à falta de condições de trabalho. 

Entre os médicos estrangeiros que vieram para o programa, tirando os cubanos que usaram o Mais Médicos como trampolim para o exílio, todos os que desistiram reclamaram da falta de condições elementares para o exercício da medicina mais básica. Ou seja: aquela maquiagem feita em alguns postos de saúde, abastecidos às pressas com remédios e material de uso levados em aviões da FAB, não enganou os estrangeiros. 



Comentários