Médico Cubano é investigado por tráfico de órgãos humanos

O médico cubano Dorian Castellanos Rojas foi levado ao centro técnico de investigações 100 e Aldabó ,no dia 25 de janeiro de 2014, depois de ter sido acusado de roubar os órgãos de um paciente que tinha falecido no hospital Clínico 26.
Hospital das Clínicas 26- Cuba


Segundo a fonte , que não quis ser identificada , Dorian foi preso no Hospital Joaquín Albarán (clínico 26 ) , onde atua como médico legista , após ser acusado por parentes do paciente Alejandro Pereira Rios , que morreu na manhã de 24 de janeiro deste ano.


" Eles não me deixaram vestir meu filho para que eu não desse conta que tinham tirado os seus orgãos '' , disse Georgina Rios, mãe do falecido, que dizia que eles não solicitaram a autópsia. '' Eles só disseram : mãe dá-me a roupa que vamos entregar o corpo vestido por ordens da direção do hospital '' , declarou a mãe .


Dorian , que é o chefe da sala de necrópsia do hospital , foi acusado em 2010 por venda de órgãos a estrangeiros e após uma investigação completa , que durou cerca de seis meses , não conseguiram provar sua participação no tráfico de órgãos .

Ernesto , irmão do falecido, falou que seu irmão estava há mais de 3 meses no hospital devido a um acidente de carro que causou uma fratura grave do crânio ficando em estado vegetativo.

Acrescenta a fonte , que nos últimos 5 anos, este é o terceiro caso que ocorre no Hospital das Clínicas 26 , , por alegado tráfico de órgãos humanos , afirmando que nenhuma das investigações comprovaram as denúncias .

Traduzido pelo Blog Alagoas real
Se copiar ou criar link,é obrigatório citar a fonte
Do Original
Vladimir Turró Paez
Periodista Independiente

Comentários