Médicos Cubanos no Brasil: a estrada de Cimarrón!

Ramona Matos falando aos jornalistas


Jorge Hernández Fonseca
Martinoticias.com

Finalmente no Brasil ocorreu o esperado. Uma médica cubana chamada Ramona Matos Rodriguez , fugiu de sua prisão escravagista na área mais remota da Amazônia brasileira , para finalmente ganhar sua liberdade. A médica não discutiu considerações abstratas da democracia ou governança inadequada , ela falou de ter sido enganada pela ditadura de Fidel Castro , assinando um contrato ( não estava sob pressão , era voluntária, mas foi enganada ) , onde podemos ler que seria pago 1000 dólares por mês distribuídos da seguinte forma : receberia US $ 400 por mês no Brasil (em comparação com US $ 30 por mês , que recebia em Cuba, era um progresso ) e o adicional de US $ 600 que só iria vê-lo quando voltasse a Cuba , três anos depois , porque seria depositado em um banco cubano para resgate em seu retorno - provavelmente em bens - por exemplo , comprando um carro com os preços draconianos que já conhecemos.


A médica cubana veio muito disposta ao Brasil para enfrentar três anos de contrato , mas na chegada , e com a liberdade limitada, que é peculiar a " brigada médica cubana " - organizada como se fosse um exército - escutou de outros médicos estrangeiros no gigante sul-americano contratados como ela, dentro do mesmo plano chamado "Mais Médicos" que todos eles recebiam nada menos do que 10 mil reais por mês (algo em torno de 4.100 dólares por mês em taxas atuais de câmbio ) que no Brasil é um bom salário. Sentia-se diminuída diante de seus colegas estrangeiros.


A Dra. Matos disse antes a imprensa brasileira que " tinha sido enganada por Havana " que nunca disse a ela sobre os 10 mil reais por mês que o Brasil realmente pagaria a cada médico e muito menos disse a ela que a Ditadura iria receber a diferença de 3.800 dólares por mês do produto de seu duro trabalho . Ela argumentou ainda que outros médicos estrangeiros planejaram logicamente, e trouxeram com eles suas famílias, e que Cuba até então não tinha permitido.


A Dra. Ramona Matos , com medo da promessa anterior do Partido dos Trabalhadores do Brasil, PT - atualmente no poder - que já havia manifestado várias vezes que "o Brasil não daria asilo a qualquer médico cubano " o primeiro ato que fez para escapar do confinamento foi ir a embaixada dos EUA para tentar obter dos Estados Unidos o que o Brasil supostamente lhe negaria-mas a embaixada  disse que o processo levaria vários meses , durante o qual deveria " esconder-se " até obter o resultado do seu pedido , o que poderia até mesmo ser negado. Em face do exposto , a médica cubana foi aconselhada a entrar em contato com o Deputado Ronaldo Caiado, líder do Partido Democrata no Congresso brasileiro , onde recebeu imediata acolhida e suporte legal para o status oficial de refugiados no Brasil.


O Deputado caiado levou ramona Matos ao Parlamento, onde ela contou a sua história , que foi rejeitada por parlamentares do PT a serviço de Havana- em vez de responder e contestar os argumentos da médica cubana e suas razões para o abandono da fraude que estava sendo cúmplice se aceitasse as condições atuais, eles atacaram a sua pessoa, a sua honra,usando o método fascista bem conhecido ( criado por Goebbels ) para atacar diretamente a pessoa , desqualificando a sua moral , em vez de revidar seus argumentos. Isso fez com que o deputado Caiado solicitasse uma entrevista com a Ministra dos Direitos Humanos no Brasil, e com a ministra de Assuntos da Mulher , ambos membros do PT, que não se pronunciaram ante a maldade e os ataques pessoais que sofreu a médica publicamente.


O ministro da Saúde, por sua vez, provavelmente usando o script da Embaixada de Cuba em Brasília , atacou a médica lamentando "o abandono que a doutora havia feito com seus pacientes ", com o mesmo tom autoritário dos antigos donos e comerciantes de escravos após os  negros fugirem do canavial em busca da liberdade, ele também" chorou e acusou " ao modus dos comerciantes de negros,que só viam o volume de cana que não tinha sido cortada devido à fuga do escravo. " Um ser desprezível , uma canalhada!


Em vista a "guerra" pessoal que o PT está promovendo contra a médica cubana provavelmente a mando da Embaixada de Cuba em Brasília, a Dra. Matos respondeu com duas ações judiciais: a primeira é uma ação trabalhista para recuperar o dinheiro que tinha ganho e que o Brasil tinha desviado para Cuba ilegalmente , e a segunda é para que o Tribunal do Trabalho oferte os direitos iguais a todos os médicos cubanos presentes no Brasil .No Brasil há separação de poderes e o contrato que a médica cubana mostrou publicamente é ilegal (o governo havia dito que os médicos ganhariam uma "bolsa" em dinheiro ), porque eles iam fazer " pesquisa e estudos de pós-graduação", algo completamente falso, como demonstrado pela existência do contrato mostrado pelo Dra. Matos. 


Assim, a Dra. Matos acaba de desmontar ante a opinião pública brasileira a mentira do governo brasileiro em conluio com a ditadura cubana, para o tratamento escravagista que a ditadura Castro é acostumada a dar a seus profissionais ,que foi bem acolhido de forma desumana por um governo de esquerda, que sempre disse ser o defensor dos direitos dos trabalhadores (e que se autodenomina "Partido dos Trabalhadores", PT,!?) aceitando oficialmente um trabalho configuradamente escravo,segundo as próprias leis do Brasil. Uma verdadeira vergonha! 


Agora está nas mãos do Poder Judiciário brasileiro,o destino, não só do golpe perpetrado contra a Dra. Matos, como o futuro de um plano puramente eleitoreiro, com conotações de prestação de cuidados de saúde primários, nos cantos mais remotos da geografia do Brasil, que na realidade tem somente o desejo de criar "cabos eleitorais" entre a população mais carente, e ao mesmo tempo, explorar os médicos cubanos, pagando-lhes uma ninharia no Brasil, para que Cuba possa fazer "caixa" com o dinheiro não pago aos médicos e financiar assim  o Porto de Mariel .Com esta canalhada, Cuba teria fundos para pagar grandes empresas brasileiras o trabalho previamente financiado pelo governo da presidente Dilma Rousseff. 


Felizmente para os Cubanos amantes da democracia e que vêem com maus olhos a exploração escravagista que fazem os irmãos Castro com os profissionais cubanos honestos, como tem demonstrado a Dra. Ramona Matos, continuaremos denunciando tanto a desonestidade e a cumplicidade de ambos governos na exploração-vamos prestar mais atenção para os casos futuros de outros médicos que seguirão os passos de cimarrón traçado por esta corajosa médica Cubana.


Artigo traduzido pelo Blog Alagoas real
Se copiar ou criar link,é obrigatório citar a fonte

Do original:
Jorge Hernández Fonseca
Médicos cubanos en Brasil: ¡El camino Cimarrón!

Escravo Cimarrón em liberdade


NOTA DO BLOG:
Na América se chamou de cimarrón  os escravos rebeldes, alguns deles  fugitivos, que viviam uma vida de liberdade nos cantos mais remotos das cidades ou no campo denominados de palenques ou quilombos. Mais tarde, em Cuba se adotou preferencialmente o termo  jíbaro para se referir quilombolas (Os cimarrones). Leia mais sobre Cimarrón e sobre escravidão

Comentários