Petição a ONU e OEA :Carta aberta contra o silêncio internacional perante a repressão na Venezuela

Um grupo de artistas , escritores e pensadores cubanos divulgaram uma carta aberta nessa segunda-feira denunciando o silêncio de " quase todos os governos e as organizações internacionais que deveriam se manifestar contra a violência na Venezuela. "

Enquanto assassinam e torturam estudantes , quase todos os governos e as organizações internacionais que deveriam se manifestar contra a violência na Venezuela permanecem em silêncio.

Os signatários afirmam que "é hora da sociedade civil exigir o fim da hipocrisia e crueldade de organizações como a OEA e a ONU e a cumplicidade por omissão dos governos latino-americanos que ignoram as disposições democráticas e compromissos com os direitos humanos assinados por suas autoridades . "

Assinam a carta aberta cubanos, localizados em várias cidades e países, que conheceram " de perto o horror do totalitarismo ". 

Em seguida, o documento :

Carta aberta contra o silêncio internacional sobre a repressão na Venezuela


Enquanto assassinam e torturam estudantes , quase todos os governos e as organizações internacionais que deveriam se manifestar contra a violência na Venezuela permanecem em silêncio.

A atual crise no país latino-americano , não podemos esquecer , foi causada por um governo, o de Nicolas Maduro , que , apesar de todo o oportunismo que exibiu , e todos os abusos infligidos aos democratas da oposição,apenas obteve 50 % dos votos nas últimas eleições .

Enquanto silenciam os meios de comunicação e matam os jovens nas ruas sem que os assassinos sejam levados à justiça , Maduro e os seus conselheiros e protetores em Havana pretendem impor na Venezuela um modelo radical que não responde aos desejos do povo venezuelano .

Inquéritos e sondagens eleitorais acima mencionados mostram que os venezuelanos , incluindo muitos que são chavistas , não querem que seja implantado no país um sistema similar a velha ditadura cubana .Simplesmente não querem navegar nesse " mar de felicidade ", que Chávez falava.


Não devemos permitir que as ditaduras ao redor da América Latina ,agora fale em nome do povo , o socialismo e a paz. Vamos apoiar a sociedade civil venezuelana , e seus estudantes .






(por ordem alfabética) 

Adrián Morales, músico, filósofo y artista visual 

Ailer González, artista visual, directora artística de Estado de Sats 

Alexis Romay, escritor y bloguero 

Amir Valle, escritor y periodista 

Ángel Velázquez Callejas, historiador y ensayista 

Antonio Correa Iglesias, filósofo y académico 

Armando Añel, escritor y editor 

Armando de Armas, escritor y periodista 

Carlos Alberto Montaner, escritor y periodista 

Enrique del Risco, escritor y bloguero 

Enrique Collazo, historiador y analista 

Felipe Lázaro, editor y escritor 

Félix Luis Viera, escritor 

Joaquín Gálvez, escritor y promotor cultural 

Jorge Salcedo, escritor y bloguero 

Juan Benemelis, historiador y ensayista 

Juan Carlos Recio, escritor y bloguero 

Julio Benítez, escritor 

Julio Fowler, músico y escritor 

Karen Caballero, locutora y periodista 

Luis de la Paz, escritor y periodista 

Luis Felipe Rojas, escritor y periodista 

Manuel Gayol Mecías, escritor y periodista 

María Elena Cruz Varela, escritora, candidata al Premio Nobel de la Paz (1992) 

Michel D. Suárez, escritor y periodista 

Mike Porcel, músico 

Omar Santana, pintor y caricaturista 

Pavel Lominchar, pintor 

Reinaldo García Ramos, escritor 

Roberto Álvarez Quiñones, periodista y escritor 

Na carta, cuja versão é pública pode ser distribuída e assinada no site Change Org (clique aqui para acessar a página :Petition  Ciudadanos por la democracia

Se copiar ou criar Link,é obrigatório citar a fonte

Comentários