Doença por Vírus Ebola :Recomendações para Viajantes



Um surto de Doença por Vírus Ebola decorre na Guiné-Conacri desde fevereiro de 2014. Foram  também confirmados casos na Libéria e há outros suspeitos, em investigação, no Gana, Serra Leoa  e Mali. 

A infeção resulta do contacto direto com líquidos orgânicos de doentes (tais como sangue, urina,  fezes, sémen). A transmissão da doença por via sexual pode ocorrer até 7 semanas depois da  recuperação clínica. 

Uma vez que o período de incubação da doença pode durar até 3 semanas é provável que novos casos venham ainda a ser identificados. No entanto, as medidas de controlo já implementadas  naquela região Africana, tais como isolamento, monitorização ativa dos casos e vigilância reforçada nas fronteiras, poderão conter este surto e prevenir a propagação da doença. 
O risco para os países europeus é considerado baixo. Segundo a Organização Mundial da Saúde, as viagens à região afetada não estão desaconselhadas. 

Ao viajar para regiões afetadas:
 
O cumprimento das medidas de proteção individual é a única forma de prevenir a infeção. 

 Siga as indicações das Autoridades de Saúde locais, cumprindo as regras de higiene básicas 
(lavagem frequente das mãos); 
 Não contacte com animais selvagens (macacos, morcegos, antílopes, entre outros) vivos ou 
mortos; 
 Cozinhe bem os alimentos de origem animal (sangue, carne, leite, entre outros), antes de os 
consumir (a refrigeração ou congelação dos alimentos não inativa o vírus Ébola); 
 Evite o contato próximo com casos suspeitos ou confirmados de doentes com o vírus Ébola; 
 Evite o contacto com cadáveres antes e durante cerimónias fúnebres; 
 Não manipule qualquer material ou objetos utilizados no tratamento de doentes; 
 Atente ao risco de transmissão através de relações sexuais. 

Durante a estadia numa região afetada procure cuidados médicos se apresentar: 
 Febre elevada de início súbito; 
 Mal-estar geral; 
 Dores musculares; 
 Dor de cabeça; 
 Dor de garganta; 
 Erupção cutânea; 
 Dor abdominal; 
 Náuseas; 
 Vómitos; 
 Diarreia; 
 Dores no peito; 
 Hemorragias (não relacionadas com traumatismos) 
Ao regressar a Portugal: 
Vigiar o estado de saúde durante 21 dias. Se apresentar alguns dos sintomas anteriormente  referidos ou tiver tido contacto direto, sem proteção adequada, com pessoa doente, contacte a  Linha Saúde 24 (808 24 24 24), mencionando a viagem recente e relatando a sintomatologia. 
Caso os sintomas se desenvolvam ainda durante o voo de regresso, no avião, deverá informar a  tripulação imediatamente. O mesmo procedimento se aplica em viagens marítimas. 

Francisco George 
Diretor-Geral da Saúde

Comentários