Ilhas, iates e mansões. A vida secreta e luxuosa de Fidel Castro em Cuba





" Apesar do que sempre fala , Fidel nunca abandonou os confortos capitalistas , nem escolheu para viver com austeridade. Muito pelo contrário, o seu modo de vida é de um capitalista sem limites ", diz o ex- guarda-costas do "Comandante " em La Vie Cachee Fidel Castro ( a vida oculta de Fidel Castro) .

No livro escrito pelo jornalista francês Axel Gylden conta a história que nenhum idealista quer ouvir : o " paraíso socialista " é governado há 55 anos por homens que vivem com luxos inimagináveis ​​para muitos líderes de avançados países capitalistas .


Juan Reinaldo Sanchez , que hoje tem 65 anos, trabalhou por 17 na segurança pessoal de Castro . Mas ganhou a antipatia do chefe quando pediu a aposentadoria .

Eles o consideraram um traidor , sendo torturado e enviado para a prisão , onde viveu em uma pequena cela infestada de baratas . Em 2008 saiu e emigrou para os Estados Unidos .


Em entrevista ao The Guardian, Gylden adiantou alguns detalhes chocantes. Por exemplo, o ex-presidente cubano vive na ilha privada de Cayo Piedra, localizada ao sul da Baía dos Porcos . Conforme descrito por Sanchez, lá foi construído um Jardim do Éden.


Para sair desse paraíso para o resto de Cuba usa um iate de luxo , a Aquarama II , construído com madeira importada de Angola e quatro motores doados por Leonid Brezhnev , um dos últimos presidentes da União Soviética. Por terra , geralmente se movem em Mercedez -Benz.


Porém as propriedades de Castro, não estão limitadas a estas . Em Havana tem sua própria mansão , incluindo um bungalow com porto, um centro médico, uma quadra de basquete e até mesmo uma pista para jogar boliche no telhado.


Entre outras extravagâncias , o ex-presidente sempre se move com uma escolta de dez seguranças. Dois deles devem ter o mesmo tipo de sangue e fator, a ser potenciais doadores , se necessário.


Além de fumar os melhores charutos cubanos , é um amante do uísque. Seu favorito é o caríssimo Chivas Regal , importado da Escócia.


As denúncias de Sánchez mostram que seu estilo de vida está longe de ser a negação de que sempre se vangloriou . Nas últimas décadas , ele passou como chefe de governo a acordar tarde e somente começar a trabalhar , depois do meio-dia . Quando era visitado por um de seus amigos , como o recentemente falecido Gabriel García Márquez , passava grande parte do dia em caça submarina em sua ilha particular.

"Era como um deus. Eu degustava cada palavra que ele falava e acreditava em tudo que dizia , seguindo-o em todos os lugares e também teria morrido por ele. " Assim sentia Sanchez e muitos daqueles que serviram Castro .


Mas então eu percebi que muitas coisas estavam erradas. O líder sentia que " Cuba lhe pertencia. "

"Foi o seu amor pela maneira de ser semelhante a um proprietário de terras do século XIX. Para ele, a riqueza era um instrumento de poder, de sobrevivência política e de proteção pessoal", diz ele. E eu continuei lembrando como ele guardava centenas de diamantes em uma caixa de charutos Cohiba, acrescenta: "Às vezes, Fidel tinha a mentalidade de um pirata do Caribe". 


"Esta é a primeira vez que alguém do círculo íntimo de Castro fala, alguém que fazia parte do sistema e foi testemunha ocular dos eventos que descreveu. Isso muda a imagem que temos dele. Não apenas seu estilo de vida contradiz suas palavras, mas colocam em questão a sua psicologia e motivações ", resume o autor do livro.


Traduzido e editado pelo Blog Alagoas real
Se copiar ou criar link,é obrigatório citar a fonte
Do original

Un ex custodio de Fidel Castro denuncia su vida secreta de lujos en Cuba

Comentários