MP vai cobrar da Prefeitura de Pilar PCCV para os médicos






Reunido com dirigentes do Sinmed na última quinta-feira, o promotor de Justiça do Pilar, Jorge Dória, esclareceu os rumores sobre ter apoiado a administração municipal na decisão de cortar a gratificação que representa mais de 50% do salário dos médicos. Ele disse que houve erro de interpretação quanto a cobranças que fez à Prefeitura sobre a questão salarial na pasta da Saúde. 

As cobranças do promotor teriam gerado rumores que justificariam o corte da gratificação no salário dos servidores – médicos e não médicos.

Há dois meses, a Prefeitura, que desde o início da atual gestão paga os salários em três parcelas, deixou de pagar a gratificação. Por conta disso, algumas categorias de nível superior decidiram entrar em greve. Os médicos não pararam, mas procuraram o Sinmed que solicitou a audiência ocorrida na semana passada. Outra reunião com o promotor está marcada para a próxima quarta-feira.

Ao esclarecer os fatos durante a reunião, o promotor contou que detectou problemas relacionados ao pagamento dos salários durante investigação sobre o funcionamento da rede municipal de saúde. Na quinta-feira, enquanto aguardava a audiência com o promotor, dirigentes do Sinmed se encontraram com o prefeito da cidade, Carlos Alberto Canuto, e com a secretária de saúde do município, Valéria Canuto, quando eles saiam do gabinete de Jorge Dória.

Já na conversa com o promotor, o presidente do Sinmed, Wellington Galvão, defendeu a criação de um PCCV para os médicos do município e contou ter encaminhado, na gestão anterior, uma proposta de PCCV à Prefeitura do Pilar, nos moldes da que foi implantada em Maceió e que o Sindicato tenta levar a outros municípios. Dória se interessou. 

O Sinmed ficou de entregar ao promotor de Justiça uma cópia da proposta do PCCV e também de encaminhá-la novamente à Prefeitura do Pilar. A expectativa é que o envolvimento do MP na questão favoreça um entendimento com o prefeito, de forma que se conquiste um PCCV para a classe médica. 

Sobre a reunião que o promotor teve com o prefeito e com a secretária de saúde, antes de receber o Sinmed, apenas uma novidade: a garantia dada pelo prefeito de que as gratificações em atraso (dois meses) serão pagas em breve. Mas isso resolve só uma parte do problema. 

Seja como for, o envolvimento do MP na questão, a partir da investigação sobre a situação da saúde municipal, é positivo e bem vindo. O promotor está cumprido seu papel – e no que diz respeito à questão salarial e de condições de trabalho dos médicos o Sinmed agradece.

Comentários