Técnicos vão avaliar situação de maternidade




Em audiência com dirigentes do Sinmed e representantes do corpo clínico da Maternidade Denilma Bulhões (pediatras e obstetras), a secretária da Saúde de Maceió, Sylvana Medeiros, ouviu queixas sobre a falta de condições de trabalho e sobre os problemas nas escalas de plantão. De acordo com os médicos, nas condições em que se encontra atualmente, a unidade de saúde pode funcionar, no máximo, como ambulatório.

Para funcionar como maternidade, sem colocar em risco as gestantes e seus bebês, a unidade precisa passar por mudanças e ser adequadamente estruturada, tanto do ponto de vista material como no que se refere aos recursos humanos. A secretária disse que determinará ao corpo técnico da pasta que faça uma avaliação criteriosa da Maternidade Denilma Bulhões para determinar se os problemas podem ser sanados ou se a melhor opção será transformá-la em ambulatório.

Os técnicos da SMS também deverão buscar uma solução para a remuneração dos plantões, conforme previsto no PCCV. Os plantonistas receberam o adicional devido somente nos primeiros quatro meses. Depois, a verba foi retirada sem maiores explicações. Sobre outro adicional, o da insalubridade, que não está sendo pago aos médicos concursados recém-empossados, os valores deverão ser calculados com base nos locais de trabalho.
COLUNA DO SINMED AL - DOMINGO, 13 DE JULHO DE 2014
Por conta disso, cada médico deverá solicitar a implantação do adicional de insalubridade diretamente à Secretaria Municipal de Administração, Recursos Humanos e Patrimônio (SEMARHP). O órgão, então, fará a implantação de acordo com as informações que forem repassadas pela SMS sobre os valores do adicional de insalubridade aplicável a cada unidade de saúde.

Comentários