Cubanos do Mais Médicos não têm orientadores indicados pelo governo



O Centro de Saúde (CS) 05 recebeu três profissionais cubanos participantes do Mais Médicos para o Brasil. A indicação de orientadores garantida pelo governo federal não ocorreu e o resultado é que os médicos da unidade são frequentemente interrompidos para solucionar dúvidas sobre questões básicas, como a prescrição de remédios.




Os diretores do SindMédico-DF foram aos centros de saúde 02, 03, 04 e 05 de Ceilândia, onde verificaram a dificuldade de prover atendimento por falta de pediatras e clínicos gerais, principalmente. Como essa situação gera um aumento na concentração de pacientes em salas de espera, é comum que pessoas mais exaltadas batam às portas dos consultórios exigindo ser atendidas.


Comentários