Cuba arrecadou US $782 milhões de dólares no primeiro ano do Mais Médicos




Por José Alberto Gutiérrez*

A colaboração de médicos cubanos no Brasil colocou um total de $ 782.800.000 de dólares nos cofres do governo de Raul Castro durante o primeiro ano de serviços prestados-um valor que se aproxima rapidamente do empréstimo de 954 milhões de dólares concedidos por Brasília para Havana construir o megaprojeto do Porto de Mariel.

O governo brasileiro autorizou, em 15 de agosto, uma nova alocação de recursos para a manutenção da missão médica cubana no país sul-americano. A contribuição financeira é desta vez de 1.175 milhões de reais - 511 milhões de dólares e será transferido para a Organização Pan-Americana da Saúde (OPAS), como intermediária do recrutamento de profissionais da ilha, de acordo com o Diário Oficial da União (DOU). 


Esta é a quarta aprovação de recursos para esse fim, desde a criação do programa social mais médicos, em agosto de 2013.


O negócio da medicina cubana 


Até o momento já somam 2,707 milhões de reais ( $1.177 milhões de dólares) gastos pelo governo de Dilma Rousseff unicamente para garantir a permanência dos médicos cubanos no Brasil. 

O maior beneficiado do dinheiro dos brasileiros é o governo cubano, que se apodera de 70% dos dividendos originalmente destinados para pagar os profissionais. Os Funcionários cubanos recebem um salário mensal de $ 1,245, o que corresponde a menos de 30% dos $ 4,500 dólares que Brasil aloca para cada profissional . 

Usando essa proporção a partir dos dados publicados pelo DOU, se deduz o valor de $ 782.800.000 a exportação de profissionais cubanos para o Brasil desde que chegaram os primeiros colaboradores da ilha em agosto do ano passado. 

O acordo entre o governo brasileiro e a OPAS prevê que 5% do valor da transação fique com a entidade Panamericana por seu papel de intermediária na força de trabalho, o que significa que a transação Brasil-Cuba já rendeu até o momento $58,8 milhões de dólares a OPAS ,braço regional da Organização Mundial da Saúde (OMS). 

Dilma lava as mãos 


A primeira alocação de recursos foi aprovada em 30 de dezembro de 2013, como uma extensão do acordo em curso entre o Ministério da Saúde e a OPAS para a cooperação na área da saúde pública e criação de fundos para a contratação de 4.000 médicos cubanos por meio de organização regional. Na ocasião, foi aprovado 511 milhões de reais ($222 milhões de dólares americanos), em dezembro, e 46,5 milhões de reais (mais de $ 20 milhões de dólares) em janeiro passado. 

Em fevereiro de 2014, depois de uma súbita expansão do contingente cubano, o Brasil reabriu o cofre para oferecer uma contribuição financeira substancial para o programa de 974 milhões de reais ($ 423,000,000). 

A contratação de colaboradores cubanos através da OPAS / OMS exime formalmente o governo de Rousseff da responsabilidade pela redução salarial forçada que os profissionais cubanos são submetidos no país, ao contrário do que acontece com outros médicos estrangeiros que participam do mesmo programa e recebem o pagamento integral do Estado brasileiro. 

Confrontado com as críticas por essa situação, o governo brasileiro está se escondendo atrás da OPAS , e justifica que esses acordos salariais foram realizados pela instituição panamericana diretamente com o governo cubano. Rousseff também argumentou que os cubanos são funcionários públicos de Cuba e recebem integralmente seus salários na ilha. 


A brigada cubana no Brasil agora compreende 11.456 profissionais, em sua maioria mulheres, e prestam serviços em 26 estados. Em uma aparição na televisão brasileira ,Cristina Luna, chefe da Missão Médica Cubana no Brasil, disse que os médicos garantem assistência médica a mais de 50 milhões de brasileiros. 


Uma conquista que não pode ser atribuída apenas ao trabalho dos cubanos e representa na verdade, uma estimativa da população teoricamente alcançada por 14.400 profissionais incorporados ao programa, incluindo os brasileiros, cubanos (80%) e outros estrangeiros, de acordo com um critério estatístico da OMS de que um médico pode atender até 3.500 pessoas. Os dados foram explicados pela presidenta Rousseff em defesa do programa social de saúde que é o carro-chefe para sua reeleição.

Traduzido e editado pelo Blog Alagoas real 
Se copiar ou criar link,é obrigatório citar o Blog Alagoas Real e a fonte Do artigo original

Cuba recaudó $782 millones en el primer año de su misión médica en Brasil
* Jornalista cubano residente em São Paulo. Colaborador de CaféFuerte. Twitter: @liboriodecuba

Comentários