Secretarias de Saúde do Brasil ( AL,SE,SP,PR,MA,GO,AM,AC...) negam rumores de ebola

O gênero Ebola pertence à família dos Filovirus da ordem Mononegavirales(grupo V da classificação Baltimore com genoma de ARN de cadeia simples de sentido negativo). Dentro do gênero Ebola são descritas cinco espécies:Zaire Ebolavirus, Reston Ebolavirus, Sudão Ebolavirus, Bundibugyo Ebolavirus e Tai Forest Ebolavirus


Secretaria da Saúde de Sergipe encaminha nota sobre fato


"A Diretoria Estadual de Vigilância Epidemiológica informa que está alerta para a identificação da possibilidade de qualquer caso suspeito de Ebola, para a realização das medidas de controle, e que até o momento não há nenhum caso suspeito no estado de Sergipe. Considera-se Caso suspeito de Ebola pessoas procedentes, nos últimos 21 dias, de país com transmissão atual de EBOLA (Libéria, Guiné e Serra Leoa) que apresente febre de início súbito, podendo haver hemorragias.
Reforçamos que a transmissão no continente africano tem sido limitado a três países, principalmente em localidades rurais.
O vírus Ebola foi identificado pela primeira vez em 1976, no Zaire (atual República Democrática do Congo)e, desde então, tem produzido vários surtos no continente africano. Esse vírus foi transmitido para seres humanos que tiveram contato com sangue, órgãos ou fluidos corporais de animais infectados, como chimpanzés, gorilas, morcegos-gigantes, antílopes e porcos- espinhos.
Pelas características da infecção pelo Ebola, a possibilidade de ocorrer uma disseminação global do vírus é muito baixa. Desde sua descoberta em 1976, o vírus tem produzido, ocasionalmente, surtos em um ou mais países africanos, sempre muito graves pela alta letalidade, mas, autolimitados. A seriedade do atual surto é a sua extensão, atingindo três países e a demora em se atingir seu controle. Isso ocorre pela precariedade dos serviços de saúde nas áreas em que ocorre a transmissão, que não dispõem de equipamentos básicos de proteção aos profissionais de saúde e aos demais pacientes, bem como pelas práticas e tradições culturais de manter pacientes em casa, inclusive escondendo sua condição das autoridades sanitárias, e a realização de rituais de velórios em que os parentes e amigos têm bastante contato com o corpo do falecido.

Representantes da Secretaria de Estado de Saúde de Sergipe participaram no dia 06/08/2014 de vídeo conferência com o Ministério da Saúde e demais Secretarias da Saúde dos demais estados, para discussão da situação mundial, onde houve a confirmação de que, até o momento, não há nenhum caso suspeito no Brasil e que, apesar de remota a possibilidade de casos, o sistema de vigilância epidemiológica nacional deve ficar alerta", esclarece a nota na íntegra.

A secretaria acrescenta ainda que o único paciente estrangeiro internado no Hospital de Urgência de Sergipe (Huse) é um sul-africano e sem suspeita de Ebola. Ele está sendo submetido a exames para diagnóstico de outra doença.


Secretaria descarta risco de ebola em africano que chegou a São Paulo
Homem, que não quis ser identificado, desembarcou no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos na madrugada de sábado


4.ago.2014 por Redação VEJASAOPAULO.COM


Um africano recém-chegado em São Paulo foi internado no Hospital Emílio Ribas, na região central de São Paulo, com suspeita de estar contaminado com o vírus ebola. A Secretaria Estadual de Saúde, no entanto, descartou a hipótese e o paciente teve alta.


O homem - que não permitiu a divulgação de dados pessoais, tampouco seu país de origem - desembarcou no Aeroporto de Cumbica, em Guarulhos, na madrugada de sábado (2) sentindo-se mal. Como ele vinha da África, a Polícia Federal entrou em contato com a Secretaria Estadual de Saúde, que o levou para uma área isolada do Hospital Emílio Ribas.


Maceió

Rumor de vírus ebola leva Secretaria de Saúde a adotar medidas preventivas




Secretaria de Saúde descarta caso de Ebola em Londrina


A Secretaria Municipal de Saúde de Londrina, por meio da Vigilância Epidemiológica, informou nesta quinta-feira (31) que o suposto caso de febre hemorrágica causada pelo Ebola em uma mulher de 46 anos está descartado

Boato de ebola no Maranhão é desmentido por instituições de saúde

O Hospital Universirário informou, por meio de nota, que não existe nenhum caso de paciente internado na Instituição com o vírus Ebola. Esclarece ainda que a informação divulgada pelas redes sociais é de extrema maldade, com intuito de causar pânico na população. Fato reafirmado pela secretária de estado de saúde, que informou não haver nenhum registro da doença no estado.


Secretaria de Saúde descarta caso de Ebola em Goiânia


O Departamento de Vigilância Epidemiológica da Secretaria Municipal de Saúde de Goiânia descartou o caso suspeito de ebola em uma paciente internada no Hospital de Doenças Tropicais, HDT.


A brasileira doente deu entrada na unidade com sintomas como febre, tosse e mal estar nesta sexta-feira (1º/8) pela manhã após ter viajado para Moçambique, onde ficou durante dez dias.

Secretaria Estadual de Saúde nega circulação do suposto vírus ebola trazido por imigrantes


O boato de que o vírus Ebola estaria em circulação nas cidades acreanas que abrigam os imigrantes haitianos, senegaleses e de alguns países africanos, como Guiné e Senegal foi desmentido pela diretora de vigilância epidemiológica da Secretaria Estadual de Saúde, Izanelda Magalhães.



Manaus - A Secretaria de Estado de Saúde (Susam) informou, na tarde desta terça-feira, que são inverídicas, irresponsáveis e sem qualquer fundamento as informações que circulam nas redes sociais, de que sete ônibus estariam transportando haitianos com o vírus ebola (uma doença infecciosa grave rara, frequentemente fatal).

Comentários