Valores justos na tabela SUS resolveriam "FALTA" de Especialistas,diz SINMED AL


"A pergunta que não quer calar é: o que seria mais fácil, justo e certo a fazer – a) reformar a tabela SUS aplicando a ela a CBHPM; ou b) trazer mais intercambistas para o Brasil, drenando o dinheiro da saúde dos brasileiros para ditaduras como a de Cuba? O governo federal marca na letra ‘b’."



O SUS paga a um médico especialista R$ 10,00 (dez reais!) por uma consulta. Pelo valor da consulta, já dá para se ter uma ideia dos valores pagos por procedimentos diversos – desde exames a cirurgias das mais simples até às de grande porte. Adjetivos como irrisórios, aviltantes, ridículos, ultrajantes, desrespeitosos, entre tantos outros com significados semelhantes, talvez não sejam abrangentes o suficiente para qualificar os valores de remuneração do trabalho médico para a maioria dos procedimentos que figuram na mal-afamada ‘tabela SUS’. 

Daí, a ‘falta’ de especialistas no SUS. Os médicos querem trabalhar, mas querem receber uma remuneração justa. As entidades médicas brasileiras até criaram uma tabela própria – a CBHPM – que estabelece valores minimamente dignos para remunerar o trabalho médico – seja nos planos de saúde, seja no SUS. Porém, o governo federal entende que os valores da tabela SUS não devem ser reajustados, e mantém os valores congelados.

Agora, anuncia que ‘resolverá’ o problema da falta de médicos especialistas da mesma forma que ‘resolveu’ o problema da atenção básica: importando especialistas – ou espalhando pelo Brasil intercambistas que se declarem especialistas em alguma coisa. É de dar medo. A julgar pelo que os intercambistas andam fazendo por aí, a população deve começar a ficar preocupada com essa decisão do governo federal de importar ‘intercambistas especializados’.



Especialistas bons, em todas as áreas de atividade médica, o Brasil tem. Eles atendem para planos de saúde, atendem paciente particular. E poderiam atender pelo SUS, se fossem remunerados de forma justa. A pergunta que não quer calar é: o que seria mais fácil, justo e certo a fazer – a) reformar a tabela SUS aplicando a ela a CBHPM; ou b) trazer mais intercambistas para o Brasil, drenando o dinheiro da saúde dos brasileiros para ditaduras como a de Cuba? O governo federal marca na letra ‘b’.

Comentários