A máscara que esconde a tirania do Castrismo

Como parte do disfarce , a mascarada ditadura tem dado um golpe de propaganda com alcance internacional, enviando mais de 200 médicos para combater a epidemia de Ebola na África



A ditadura precisa escapar do impacto que significa a deterioração imparável da economia venezuelana, sua principal fonte de subsídio. Razão pela qual lançou uma ofensiva diplomática e propagandística destinada a buscar novas alternativas para financiar a sustentabilidade do regime castrista no poder. 


Com a Rússia, negociou regalias nos subsídios e privilégios do perdão da bilionária dívida externa e com a China fez o mesmo, enquanto o Brasil construiu um mega-porto "El Mariel", a fim de atrair investidores para criar uma zona de livre comércio. 


A máscara que esconde a tirania do Castrismo
A máscara que esconde a tirania do Castrismo




No entanto, a jogada dessa ofensiva é a projeção de uma suposta mudança na imagem a nível internacional através dos efeitos da propaganda, entre as quais se destaca a permissão e liberalização do trabalho autônomo para aparentar uma abertura econômica. Também liberalizar a entrada e saída de artistas radicados em Cuba conjuntamente com a eliminação da permissão de saída, permite que receba uma substancial quantia e projeta uma imagem de maior permissividade. Como parte dessa simulada mudança autorizou a saída de destacados adversários , que, apesar de constituir um risco para o seu controle, dar ao público internacional uma falsa sensação de que as coisas estão mudando dentro do regime político. 

Como parte dos efeitos especiais do jogo, e muito provavelmente impulsionado por setores com interesses econômicos e políticos ,motivaram o grande jornal 'The New York Times a publicar um editorial pedindo o levantamento do embargo, um dos objetivos desta campanha, e que, abriria importantes fontes de financiamento e investimentos internacionais, permitindo a sobrevivência econômica da ditadura e a capacidade de garantir a sucessão dos herdeiros da dinastia Castro. 


O artigo teve uma réplica brilhante em oposição publicado pelo prestigiado periódico The Washington Post. 

Como parte do disfarce , a mascarada ditadura tem dado um golpe de propaganda com alcance internacional, enviando mais de 200 médicos para combater a epidemia de Ebola na África. Conhecendo os precedentes do regime duvidamos da voluntariedade dos médicos na prestação de um serviço como esse em detrimento de perder suas vidas por contágio. 


É bem conhecido que a ditadura vende para outros países o trabalho humano de profissionais cubanos como fonte para obter lucros enormes em moeda estrangeira, enquanto os médicos recebem uma bolsa irrisória por seu trabalho profissional, constituindo uma forma de escravidão do homem pelo o estado. 

Mas o tal golpe psicológico-propagandístico teve o efeito de cegar, como refletores, os olhos dos políticos, jornalistas e parte da opinião pública internacional ofuscando a crueldade desumana que esconde a tirania Castro. 

Motivado por esses cantos de sereia , a União Europeia começou recentemente uma rodada de conversações com o regime e setores influentes da política americana exigindo publicamente o fim do embargo. 


Por trás dessa máscara enganosa de incautos e grande recrutadora de políticos ambiciosos e investidores sem escrúpulos, se esconde o verdadeiro e horripilante rosto de uma cruel tirania.

Acontece que no passado mês de outubro, a oposição pacífica cubana foi vítima de mais de 909 detenções arbitrárias. Além disso, continuam impunes os atrozes assassinatos de muitos cubanos, entre os quais se destacam o de Osvaldo Paya e Harold Cerero, o de Orlando Zapata e William Soto, entre muitos outros. 

A ditadura também não deixou seu caráter militarista. O regime é presidido por um general que geralmente alterna sua epaulet com o disfarce de civil, sobre cujos ombros pesam assassinatos e genocídios. A cúpula governante de Cuba, é composta por um velho e enquistado generalato ; são as forças armadas que controlam as grandes empresas nacionais para beneficio e lucro de seus comandantes hierárquicos, à custa da exploração dos trabalhadores empobrecidos. 


Simultaneamente,prevalece uma sinistra polícia secreta que de forma consistente e, como parte de uma política de Estado viola flagrantemente os direitos humanos das pessoas, aterrorizando cidadãos e conta com centros de tortura espalhados por toda a ilha, bem como prisões desumanas onde injustamente prendem os adversários. 


O país é governado por um compêndio de leis que se aplicam somente enquanto seja apropriado para a cúpula no poder, disfarçando um falso estado de direito, que na realidade é um estado de capricho do governante. 

Nós poderíamos consumir centenas de páginas descrevendo as atrocidades da tirania, mas é suficiente um botão para mostrar o seu macabro rosto escondido em uma máscara de bondade. 

Exortamos a todos a olhar por trás da máscara do regime de Fidel Castro, porque seria um erro, um crime, uma recompensa, premiar uma tirania reforçando-a no poder, à custa da opressão de um povo.


Editado e traduzido pelo Blog Alagoas Real.
Se copiar é obrigatório citar a fonte original,e o Blog Alagoas Real,com seus links anexos!

[03-11-2014 07:30:42]
Lcdo. Sergio Ramos

Comentários