OMS utiliza o embargo dos EUA como justificativa para o não pagamento salarial dos Cubanos

OMS utiliza o embargo dos EUA  como justificativa para o não pagamento salarial dos Cubanos
Bem diferente do programa Mais Médicos , Cuba paga por seus médicos na África, enquanto a licença está em tramitação nos EUA .


O regime deve pagar pelo alojamento e alimentação de dezenas de seus médicos na África, durante semanas, porque as sanções dos EUA a Cuba dificultaram as tentativas por parte da Organização Mundial da Saúde (OMS) em pagar as despesas de viagem, tal como havia acordado , disse sexta-feira a agência AP.


"O fato de que eles são cubanos tem limitado bastante a transferência de fundos de pagamento", disse à Associated Press em uma entrevista exclusiva o representante da Organização Pan-Americana da Saúde e da OMS José Luis Di Fabio. "Neste momento em Serra Leoa conseguimos recentemente pagar outubro em meados de Novembro".
Pessoal médico cubano na Libéria


O governo cubano enviou 256 médicos e enfermeiros aos três países mais afetados pelo surto mortal de Ebola em outubro: Serra Leoa, com o maior grupo de 165; Guiné Conakry e Libéria.

As sanções tiveram um forte impacto sobre a delegação de Serra Leoa, explicou Di Fabio e, em menor medida em Guiné Conackry e Libéria, onde a abertura de algumas contas ficaram prejudicadas.

"Houve um mês que Cuba teve de financiar sua brigada (em Serra Leoa) com fundos de reserva que tinham recebido . Eles tiveram que pagar com esses fundos de reserva o hotel e a comida, porque não recebiam o pagamento. A OMS queria pagar ,porém ela não podia ", disse Di Fabio em uma entrevista esta semana.

Havana foi o primeiro país a enviar recursos humanos para a África sob as instruções da OMS,disse a agência , acrescentando que o embargo dos EUA, em vigor há cinco décadas e que multa empresas e instituições de países ,está dificultando a chegada do dinheiro que a OMS destinou aos médicos cubanos.

Os cubanos recebem cerca de US $ 250 por dia em provisões - a OMS estima que 60% é para a acomodação e o restante para comida, o que constitui um rendimento forte para esses profissionais, porque os salários na ilha chegam a um equivalente de US $ 70 por mês.


Para o processo bancário é necessário solicitar uma licença ao Departamento do Tesouro dos EUA para que a matriz financeira possa realizar a transferência dos fundos para a África.

A ajuda cubana para a África foi também marcada por outros obstáculos. Um repórter da AP nesta semana mostrou que muitos dos médicos, pelo menos, 37 da Guiné Conakry e 60 de Serra Leoa não estão diretamente envolvidos na assistência ao paciente porque faltam alguns dos três estágios na formação básica de biossegurança e por não ter instalações disponíveis para participarem.


Di Fabio reconheceu os dois problemas e indicou que um dos desafios para 2015 é "melhor coordenar os esforços" entre os atores da comunidade médica envolvidos para vencer a epidemia.


"Temos uma situação que não é normal, que não permite um planejamento cuidadoso, porque há uma situação de epidemia de alta mortalidade. A resposta de Cuba foi imediata. A lógica é que as instalações estivessem prontas para o trabalho ser exercido ", disse ele.


Editado e traduzido pelo Blog Alagoas Real.
Se copiar é obrigatório citar a fonte original,e o Blog Alagoas Real,com seus links anexos!
La OMS dice que no pudo pagar a los médicos cubanos de la misión contra el ébola por culpa del embargo


Comentários