General Rivero: Cuba tem 20 mil homens prontos para a batalha na Venezuela

General Rivero: Cuba tem 20 mil homens prontos para a batalha na Venezuela


O regime de Havana, que ao longo dos anos tem assumido o controle de segmentos sensíveis das Forças Armadas da Venezuela, também tem no país cerca de 20.000 combatentes cubanos que poderiam sair em defesa da Revolução Bolivariana em caso um levante militar contra o chavismo.


O general da reserva Antonio Rivero, que apareceu em público pela primeira vez na quinta-feira depois de mais de 11 meses na clandestinidade, disse que cerca de 20 por cento dos 100.000 cubanos que estão atualmente na Venezuela foram treinados para a guerra, e eles estão lá para proteger os interesses de Havana se setores das Forças Armadas Bolivarianas tentarem acabar com o regime de Nicolas Maduro.


"Os 20 por cento desse total é uma equipe treinada como milícia, como combatentes, e eles são, basicamente, os que realizam o controle daqueles que foram obrigados a ir para a Venezuela", disse Rivero, que foi um dos primeiros militares venezuelanos a enfrentar o falecido presidente Hugo Chávez devido a penetração cubana nos quartéis.


"Esses 20 por cento também se tornam lutadores em qualquer instância de perigo para o regime", disse o militar em uma entrevista com o Miami Herald antes de partir para Nova York.


Rivero é procurado pelo regime bolivariano sob a acusação de conspirar e organizar para cometer crimes, acionou o Conselho de Direitos Humanos da Organização das Nações Unidas para denunciar o desprezo do governo venezuelano de vários pronunciamentos do organismo emitidos a seu favor e para pedir que se pronuncie ao lado dos presos políticos do regime de Maduro .


O conselho e sua unidade de Detenção Arbitrária determinou que a prisão de Rivero em 2013 era ilegal e tinha instruído o governo a libertá-lo, pronunciamento que foi ignorado pelo regime em Caracas, explicou o oficial , que conseguiu sair do país clandestinamente há pouco tempo.


Rivero é, simultaneamente, procurado pelo aparato repressivo de Cuba e Venezuela por suas acusações de que o chavismo deu controle a Havana de componentes-chave para a defesa do país.


De acordo com as diretrizes dos 15 acordos diferentes de cooperação militar , Chávez deu autorização a Havana para acessar e controlar os setores-chave das Forças Armadas da Venezuela, incluindo a área de comunicações e vários sistemas de armas, disse Rivero.



"Cuba tem conhecimento da operação e localização de sistemas de defesa da Venezuela e planos de operações de segurança e defesa", disse ele


Segundo Rivero, os 15 acordos são inconstitucionais e representam um sério risco para a segurança dos venezuelanos já que Raul Castro tem conhecimento e controle sobre os principais sistemas de segurança nacional.

A rede de espionagem doméstica estava em vias de ser ampliada, com os esforços dos especialistas cubanos para treinar os membros das milícias venezuelanas no trabalho de coleta de dados e inteligência.

A maior resistência seria proveniente dos combatentes cubanos que estão no país, e os jovens revolucionários treinados em Cuba ,que agora fazem parte da Frente Francisco de Miranda, o que poderia adicionar cerca de 3.000 combatentes.

A frente, atualmente é liderada pelo ex-ministro das Relações Exteriores Elias Jaua,e tem planos de contingência para ir para a batalha contra os militares em um cenário de um levante militar.

Editado e traduzido pelo Blog Alagoas Real.
Se copiar é obrigatório citar a fonte original,e o Blog Alagoas Real,com seus links anexos!

Comentários