Morte por raiva tem primeiro caso da doença neste ano

Corumbá, a 419 quilômetros de Campo Grande, registrou o primeiro caso de raiva animal, este ano. O cachorro tinha proprietária, mas circulava livremente pela rua. A dona do cão disse que deu vacina antirrábica, mas não se lembra se a imunização foi feita na campanha de 2015 ou somente em 2014. Em maio do ano passado, um morador da cidade, de 38 anos, morreu após ser diagnosticado com raiva humana.


Protocolo de Recife:  guia de tratamento para raiva humana
Protocolo de Recife:  guia de tratamento para raiva humana

                                   Apesar do caso, o CCZ (Centro de Controle de Zoonoses) informou que está oferecendo a vacina, mas recomendou que os moradores esperem a campanha de vacinação, que neste ano está prevista para abril e maio, quando a equipe fará imunização de casa em casa.

A coordenadora do CCZ em Corumbá, Walkíria Arruda, disse ao jornal Diário Corumbaense, que os donos podem levar os animais ao CCZ para a vacina, mas como a equipe que trabalha no local é pequena, órgão recomenda que os proprietários esperem pela campanha. “Se a pessoa quiser levar na clínica particular também pode, o necessário é dar vacinação”, disse.

Comentários