Influenza Aviária : República dos Camarões permanece em alerta


Jornal da República dos Camarões 13 de dezembro de 2016

Um pouco mais de oito meses após o início da epidemia em várias cidades do país, o Ministério da Pecuária e Pescas reitera o seu apelo à vigilância



Na República dos Camarões, o fim da gripe das aves ainda está longe. Nada pressagia boa notícia neste sentido para o país, especialmente na proximidade dos feriados. O Ministério da Pecuária e Pescas, de Camarões está em alerta. "Camarões permanece sob vigilância ativa" , disse o escritório do estado. De acordo com a agência do governo, o nível de alerta está ligado ao status mantido por organizações internacionais como a Organização Mundial de Saúde (OMS) e o Fundo das Nações Unidas para Alimentação e Agricultura (FAO) . 


Um dos colaboradores do ministro, Gaston Méyébé disse que, como as duas agências da ONU "não declararam ainda o fim da epidemia, o país está em alerta" . 


Há menos de oito meses, o governo com a ajuda das agências internacionais tinha descoberto o primeiro caso de gripe aviária em uma fazenda em Mvog Betsi, ao sul da capital política, Yaoundé. Desde então, a vigilância da saúde está mais rigorosa do que nunca, mesmo após eliminar mais de 30.000 aves . 


Ainda assim, a epidemia de gripe se espalhou para várias outras cidades, incluindo Bafoussam Bamenda na região ocidental, no noroeste do país. 


Em setembro, o ressurgimento da doença foi  em uma fazenda em Bafoussam . O governador da região ocidental, Awa Fonka Agostinho, tinha anunciado o abate de 16.000 frangos para impedir a propagação da doença.


Traduzido e editado pelo Blog Alagoas real
Se copiar ou criar link,é obrigatório citar a fonte
Do original e o blog ALAGOAS REAL
http://www.journalducameroun.com/article.php?aid=26996



Influenza Aviária : República dos Camarões permanece em alerta
Avaliado por
Mário Augusto em
13 de Dezembro de 2016.
Um pouco mais de oito meses após o início da epidemia em várias cidades do país, o Ministério da Pecuária e Pescas reitera o seu apelo à vigilância
Gaston Méyébé disse que, como as duas agências da ONU "não declararam ainda o fim da epidemia, o país está em alerta
Avaliação:
4,1

Comentários